AGROTERAPIA AVANÇA COM O PROJETO BioFORT

A agroterapia ganha força no Projeto Biofortificação de Alimentos – Projeto BioFORT, na versão transferência de tecnologias,  liderado em rede nacional pela Embrapa Meio-Norte.  As ações já chegaram às entidades que cuidam de dependentes químicos no Piauí e Maranhão. São treinamentos e o cultivo de produtos como feijão-caupi,  batata-doce e mandioca.

No Piauí, estão implantadas unidades multiplicadoras do projeto  na Fazenda da Paz – Luz e Vida, situada na comunidade Lagoa da Mata, a 22 quilômetros do centro de Teresina. No Maranhão, as ações do BioFORT estão mudando a vida de internos das comunidades terapêuticas Betesda, no povoado Gameleira; e Cordeiro de Deus, na localidade Perdidos, no município de Timon. Produtos, com altos teores de ferro, zinco e betacaroteno, estão melhorando a nutrição dos internos, que chegam às comunidades debilitados. Na Fazenda da Paz, são cultivados três hectares com o feijão-caupi, mandioca e batata-doce. A produção é consumida pelos internos. O excedente é comercializado para ajudar nas despesas da comunidade, segundo o agrônomo Rodolfo Sousa.

Responsável  pelos treinamentos e orientação no cultivo das hortas, Rodolfo Sousa  vê muito além do trabalho de recuperação dos dependentes químicos: “Eles têm a oportunidade de aprender  uma profissão para ganhar a vida quando saírem daqui. O nosso objetivo é que eles encontrem um novo rumo na vida”.
Hoje, a entidade abriga 55 internos, na faixa etária de 14 a 29 anos. A maioria é de Teresina e usava crack. Eles passam no mínimo um ano envolvidos com atividades agrícolas, na chamada agroterapia. Nesse período, os internos recebem a formação em técnicas agrícolas. Por ano, em média, são formadas 90 pessoas que deixam a entidade  preparadas para  trabalhar na agricultura.

Encravada numa área de 69 hectares, na zona rural norte da capital do Piauí, a Orqanização Não Governamental Fazenda da Paz tem estrutura para manter até 180 internos. Construído pelo Governo do Estado e inaugurado em 2010, o prédio da entidade é moderno e bem dotado. Tem um centro educacional, ambulatório, auditório para 100 pessoas, cine teatro, capela, além de refeitório e alojamentos.

O mentor da ONG foi o padre Pedro Balzi, ex-pároco da comunidade Vila da Paz, na zona sul de Teresina. Mas a ideia saiu do papel e ganhou vida pelas mãos do terapêuta Célio Luiz Barbosa, de 52 anos. Em Teresina, a Fazenda da Paz é coordenada por Francisco Inácio e Roberto Nascimento. Este, que tem 28 anos, é um ex-interno.

A entidade mantém mais duas unidades no município de Timon. As articulações da ONG são coordenadas por Fernando Rodolfo.  A Fazenda da Paz é também parceira do Projeto BioFORT  no fornecimento de sementes de feijão-caupi para as unidades multiplicadoras.

Fernando Sinimbu (654 MTb/PI)
(86) 3089-9118
fernando.sinimbu@embrapa.br

FONTE: https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/1491221/agroterapia-avanca-com-o-projeto-biofort

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.