IMPACTO DO SURTO DE CORONAVÍRUS NA ECONOMIA GLOBAL SERÁ POTENCIALMENTE GRANDE

Posted by Thoth3126 on 04/02/2020

O relato da primeira morte causada pelo coronavírus fora da China (nas Filipinas) intensificou o medo de que estamos à beira de uma pandemia global que poderia causar uma recessão econômica planetária. Os mercados financeiros foram abalados. As previsões especulativas dos piores cenários sugerem um impacto negativo no PIB mundial de possivelmente 1,8% a 6%. Com a especulação e os cenários do dia do juízo final no mercado de capitais sendo alimentados por cada novo anúncio de aumento nas mortes ou o aumento constante de infectados pelo surto, é importante distinguir do que podemos ter certeza e do que é mera conjectura ou exagero.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

O impacto do surto de coronavírus na economia global é potencialmente grande, mas a boa notícia é que esse perigo pode ser contido se reconhecermos que o próprio medo generalizado se tornou um fator econômico significativo.

Fonte:  https://www.rt.com/op-ed/479749-coronavirus-economic-crisis-economy/

Pelo Dr. Norman Lewis

 Isso nos permitirá manter um controle sobre a realidade. Pois, se há uma coisa que essa crise trouxe à tona, é como o medo pode se tornar uma força econômica em si mesma, o que pode conduzir uma abordagem irracional, e não uma medida, para mitigar os riscos que enfrentamos.

Do que podemos ter certeza

Com um bloqueio oficial afetando mais de 50 milhões de pessoas postas em quarentena, os gastos dos consumidores em restaurantes, hotéis e locais de entretenimento na China caíram vertiginosamente. Mas comparado ao surto de SARS de 2002/2003, os efeitos econômicos globais do coronavírus provavelmente ainda serão mais graves. Simplificando, a China é muito maior e esta mais entrelaçada com a economia global. E também é mais vulnerável do que era há 17 anos.

Em 2003, a China representava apenas 7,5% do PIB mundial. Hoje, representa mais de 20%. Desde a crise financeira global de 2007-09, a China tem sido o motor do crescimento global. Agora, ela forma uma parte muito maior da economia mundial, respondendo em 2018 por 27% da produção global. Qualquer impacto econômico negativo e de curto prazo na China provavelmente terá mais consequências globais do que teria em 2003 durante a eclosão da SARS.

Por exemplo, o tráfego aéreo internacional da China era de apenas seis milhões de pessoas em 2000, enquanto bateu em quase 661 milhões em 2018; O turismo chinês é responsável por grande parte do turismo regionalmente: 30% na Tailândia e 15% na Austrália.

A China também se tornou uma parte importante das cadeias de valores globais, representando cerca de 80% dos ingredientes farmacêuticos brutos vendidos aos fabricantes, por exemplo. A Província de Hubei, juntamente com a vizinha Xangai, representam cerca de 12% da produção de carros e caminhões da China. Atrasar as operações da Honda, Toyota, Renault-Nissan-Mitsubishi e Volkswagen para uma semana de trabalho de cinco dias, por exemplo, resultaria em 150.000 unidades perdidas.

O fechamento de pontos de venda na China por grandes marcas como McDonald’s, KFC, IKEA, Starbucks e Apple, juntamente com o corte de voos pela British Airways, Virgin Atlantic, American e United, terá impactos de curto prazo na China e nessas empresas.

Multidão de pessoas portando máscaras respiratórias

Emergência global? Cada vez mais casos são confirmados fora da China, incluindo Coreia do Sul, Estados Unidos, Nepal, Tailândia, Hong Kong, Cingapura, Malásia e Taiwan. Enquanto aumentava o número de infecções, a Organização Mundial da Saúde determinou, em 23 de janeiro, ser “muito cedo” para declarar uma emergência global de saúde pública, o que aconteceu uma semana depois.

O fechamento forçado da fabricação afetará as cadeias de suprimentos. O CEO da Apple, Tim Cook, alertou os investidores sobre possíveis impactos negativos das interrupções na cadeia de suprimentos para produtos vendidos nas lojas dos EUA e em todo o mundo.

O bloqueio da China já reduziu os preços das commodities de óleo de palma e metais básicos, reduzindo a demanda e impactando negativamente as economias dos países que dependem dessas exportações de matérias primas. O preço do petróleo Brent, o preço de referência global do petróleo, caiu para uma baixa de cinco meses, enquanto o preço do ouro subiu ao seu nível mais alto por quase sete anos, pois o metal precioso em tempos de crise aguda é o melhor e último refúgio.

Finalmente, a China e a economia mundial estão mais vulneráveis ​​hoje do que nunca antes. A China tem uma dívida muito maior e, juntamente com o impacto da guerra comercial com os EUA, seu crescimento vem desacelerando constantemente há vários anos. Tem um ponto de partida muito mais fraco para enfrentar essa crise.

Do que não podemos ter certeza

Primeiro, não é possível saber quais impactos a longo prazo esses desenvolvimentos terão sobre o crescimento da atividade econômica global, o comércio e as cadeias globais de valor. Embora epidemias anteriores como a SARS em 2003 tenham registrado muito pouco impacto globalmente – entre 2001 e 2005, o PIB da China cresceu impressionantemente de 8,3% para 11,4% – a posição de maior importância de Pequim na economia global hoje significa que o impacto pode ser muito maior, mas em quanto permanece especulativo.

Uma questão mais importante de curto prazo é como as empresas não financeiras da China, altamente endividadas (especialmente no setor de manufatura), lidarão com os períodos de bloqueio. A carga de dívida dessas empresas aumentou nos últimos 20 anos para mais de 150% do PIB. Elas contavam com alto crescimento econômico contínuo para continuar atendendo os custos dessa dívida.

Se esse alto crescimento se estabilizar, mesmo por um período relativamente modesto, essas empresas altamente endividadas poderão achar difícil honrar suas obrigações sem o apoio maciço do governo chinês. O banco central da China pode ser forçado a injetar liquidez no sistema, embora também arrisque (possivelmente muito) a produzir uma inflação mais alta. O impacto a longo prazo disso é difícil de se prever.

A grande incógnita final, e que nos leva de volta à questão subjetiva, é se essa incerteza promoverá um crescimento da cautela aumentada na confiança dos negócios e do consumidor. Compromissos comerciais, decisões de investimento, planejamentos e gastos podem ser adiados gerando impacto negativo na produção de bens e desemprego.

Pessoas usando roupas protetoras em laboratório

Pesquisadores se concentraram em descobrir como o agente é transmitido. Os coronavírus são zoonóticos, ou seja, podem ser passados de animais para pessoas. Alguns coronavírus podem ser transmitidos por tosse e espirros. Aeroportos em todo mundo passaram a controlar passageiros vindos da China. Em 20 de janeiro, foi confirmado que o vírus pode ser transmitido diretamente entre pessoas.

É impossível prever como as empresas e os governos avessos ao risco de hoje formarão uma resposta sustentada à crise que se apresenta. Mas o que podemos ter bastante certeza é que a cultura do medo no Ocidente predispõe empresas e governos preocupadas a imaginar os piores cenários inevitáveis, mesmo apesar das experiências passadas.

Isso não seria uma estratégia racional de gerenciamento de riscos. O coronavírus não possui um caminho predeterminado que não possa ser alterado por intervenção humana. Não apenas um antivírus está sendo desenvolvido a uma velocidade sem precedentes, mas crises como essas não são apenas uma ameaça real – elas também contêm oportunidades econômicas de crescimento.

Os consumidores podem ser forçados a ficar em ambientes fechados pela quarentena imposta e adiar férias ou a compra de um novo colchão. Mas a demanda do consumidor pode ser reformulada ao longo do tempo. Ficar em casa significa comer mais em casa, assistir a mais filmes on-line, comprar jogos de tabuleiro etc. A comida, a agricultura e o varejo podem prosperar como resultado desse movimento.

Fabricantes de máscaras, produtores de detergentes e sprays antibacterianos para as mãos, para citar alguns produtos, também prosperarão. Fábricas fechadas podem se recuperar rapidamente de interrupções temporárias, portanto o valor agregado é menos afetado em um ano. A corrida para desenvolver um antivírus será um boom para a indústria farmacêutica. 

Em outras palavras, se o medo domina a sociedade, torna-se um fator econômico determinante em si. Bloquear cidades e fábricas postas em quarentena é uma resposta inicial racional e muito prudente. Esperamos que ajude a conter o vírus no prazo imediato.

Mas supor que o pior cenário seja inevitável mina a crença de que podemos influenciar os resultados, de que podemos conter e derrotar essa nova ameaça. O aviso de Roosevelt de que a única coisa que devemos temer é o medo em si não poderia ser mais apropriado hoje.

O Dr. Norman Lewis, escritor, palestrante e consultor em inovação e tecnologia, foi mais recentemente diretor da PriceWaterhouseCoopers, onde montou e liderou o serviço de inovação de crowdsourcing. Antes disso, ele foi diretor de pesquisa de tecnologia da Orange.


Você quer mesmo saber como esse coronavírus “surgiu na China” e se espalhou pelo mundo em pouco tempo? Ao pesquisar os arquivos de registros de patentes nos EUA on-line, foi descoberto o registro de uma patente de Coronavírus concedida para o C.D.C. –  Centers for Disease Control and Prevention [se trata do principal instituto nacional de saúde pública dos EUA. O C.D.C. é uma agência federal dos EUA sob o United States Department of Health & Human Services (HHS)] que tem sua sede em Atlanta, Geórgia. Assim emerge um fato indiscutível, o de que o “DONO” DESSE VÍRUS MORTAL E SEU CRIADOR é o PRÓPRIO C.D.C. (Centro de Controle e Prevenção de Doenças)

O coronavírus do surto atual não teve origem na China, mas FOI IMPLANTADO neste país asiático com a clara intenção de causar o maior dano possível aos chineses. A consequência natural, quando  [se já não descobriu] a China perceber que a eclosão do surto pode ter sido um ataque de BIOWEAPON ao seu território e contra seu povo, qual será o tipo de resposta a ser dada pela China aos [ir]responsáveis pela contaminação. Começamos a ano de 2020 com muitos que operam nas sombras desejando aumentar o caos no planeta.

PATENTE de criação de um CORONAVÍRUS fornecida ao CDC (Centers for Disease Control and Prevention)  US7220852B1 – SOBRE A CRIAÇÃO DE CORONAVÍRUS [SARS] ….

Na patente acima, do registro de um CORONAVÍRUS [uma BIOWEAPON], você encontrará 72 páginas de conteúdo para poder julgar esse letal “surto repentino e desconhecido de coronavírus” na ChinaLeia a patente nesse link primeiro, faça o download e compartilhe este artigo amplamente antes que os AGENTES do DEEP STATE a excluam. Mantenha-se sábio, com discernimento e saudável!


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e PESTES, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.