MANCHA DE ÁGUAS QUENTES SE MOVE NO PACÍFICO EM DIREÇÃO À AMÉRICA DO SUL E ALARMA CIENTISTAS

Posted by Thoth3126 on 31/12/2019

A mancha de água quente que se move no Pacífico em direção à América do Sul é tão grande que ocuparia um pouco mais da metade do México e duas vezes a superfície da área de Minas Gerais, estado do Brasil. Imagens de satélites mostram que uma área gigantesca destacada em vermelho no Pacífico, atualmente situada à leste da Nova Zelândia, está se locomovendo em direção à costa da América do Sul.

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

A mancha de água quente que se move no Pacífico em direção à América do Sul e inquieta cientistas

Fonte:  https://www.bbc.com/portuguese/geral-50947361

Os pesquisadores apelidaram essa zona de “mancha quente” — hot blob, em inglês. O descobrimento dessa área vermelha, por meio de imagens tiradas por satélites, coincidiu com uma onda de calor que provocou recentes e devastadores incêndios na Austrália, ao mesmo tempo em que regiões da América do Norte experimentaram fortes tempestades de inverno.

As seguradoras receberam pedidos de indenizações no valor de A$ 240 milhões (£ 126 milhões; US$ 165 milhões) desde outubro e esperam que o número cresça significativamente. As contas médicas dos incêndios e da névoa de fumaça também podem chegar a centenas de milhões.
E uma análise sugere que interrupções causadas pela névoa de incêndio e fumaça podem custar a Sydney até US$ 50 milhões por dia. Os incêndios já mataram oito pessoas e destruíram 700 casas. FONTE

A enorme mancha de água quente compreende uma área do oceano de cerca de 1 milhão de km² cuja temperatura aumentou entre incríveis 4°C e 6 °C, muito mais do que o previsto para as águas dessa região.

Esse fenômeno inesperado pode, segundo alarmados cientistas, ajudar a explicar o forte aumento de gás [do efeito estufa] metano na atmosfera. Sem contar com as zonas dos trópicos, a mancha vermelha de água quente é a área com maior temperatura média na superfície oceânica mundial, diz James Renwick, chefe do Departamento de Geografia, Meio Ambiente e Ciência da Terra da Universidade de Victoria, em Wellington, na Nova Zelândia.

O jornal New Zealand Herald diz que a de mancha de água quente começou a se formar em outubro de 2019, mas as temperaturas se mantiveram na média e não cresceram de maneira significativa. No entanto, um aquecimento mais acentuado em dezembro fez a mancha aumentar e a temperatura subir fortemente.

As mudanças climáticas que o planeta esta enfrentando são inevitáveis, causarão grandes mudanças e tem como causa FATORES EXTERNOS, algo que muitos cientistas já descobriram, mas é pouco divulgado pela corrompida MSM.  FONTE

A formação da mancha de água quente no Pacífico

Segundo Renwick, vários fatores contribuíram para a formação da “mancha de água quente”, entre eles o “anticiclone”, um sistema natural de alta pressão que tem reduzido as correntes de vento nessa parte do Oceano Pacífico. “Temos tido pressões bastante altas, dias ensolarados e ventos leves, o que favorece um aquecimento acelerado da superfície do oceano”, disse ele ao jornal New Zealand Herald.

“Se os ventos são fortes, então tudo [o calor] se dispersa. Se não há essa dispersão de calor, o aquecimento do sol é absorvido pela superfície do oceano e gera essa cobertura de água muito quente no Pacífico”, explicou. Ou seja, sem ventos fortes, a temperatura da água aumenta e essa corrente quente se move até perto das costas da América do Sul.

Mas quão significativa é essa mancha de águas quentes ?

Segundo a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos [NOAA], as temperaturas do oceano podem variar em grandes proporções, e um grau a mais ou a menos de diferença já é “preocupante” por provocar efeitos adversos no clima do planeta como um todo.

mapa

Este gráfico mostra como zonas de mar quente foram produzidas na costa oeste dos EUA. desde o Alasca até o sul da Califórnia em setembro de 2014 e o grande aumento do fenômeno no mesmo mês de 2019

A área que compreende a mancha de águas quentes sofreu um aumento incrível e inédito de 4ºC a 6ºC na sua zona central, o que é considerado muito significativo. De acordo com Renwick, a cobertura da camada de água quente se estende por cerca de 50 metros de espessura debaixo da superfície. Os cientistas ainda vão pesquisar o impacto que isso provocará na vida marinha dessa região.

Manchas quentes parecidas com essa foram identificadas há cinco anos nas costas da Califórnia e do Alasca em setembro com consequências catastróficas para a vida animal e para a produção de pescados, bacalhau e salmão. Cientistas alertaram para um fenômeno similar acontecendo na costa oeste dos Estados Unidos.

Que efeitos essa mancha pode provocar?

Segundo Renwick, a mancha de águas quentes não terá impacto direto sobre o clima ou a vida na Nova Zelândia. Como ela está a caminho da América do Sul, a expectativa é que se disperse e perca parte do calor antes de chegar a costa de qualquer zona povoada.

Portanto, especialistas dizem que o efeito dessa área de calor no oceano não deve ser grande sobre áreas habitadas. No entanto, os cientistas estão inquietos sobre as eventuais consequências para a vida marinha. A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos [NOAA} adverte que o aquecimento das águas reduz os nutrientes no oceano, o que altera a cadeia alimentar marítima de toda a vida marinha afetada.

Leões marinhos, por exemplo, precisam nadar até mais longe para conseguir peixes e outros animais para se alimentar. Uma mancha quente surgida na Califórnia em 2014 e produziu a maior proliferação de algas tóxicas já registrada na costa oeste dos EUA.

O aumento da temperatura das águas também dificultou aos salmões jovens encontrar alimentos de boa qualidade no oceano. Além disso, milhares de leões marinhos que saíram em busca de alimentos apareceram encalhados nas praias. Diversas espécies de baleias, que também tiveram que ir até perto da costa em busca de comida, acabaram presas em redes de pesca ou mortas após encalharem nas areias das praias.

“Haverá muitas mudanças dramáticas no clima do planeta, muitas mudanças nas condições meteorológicas na medida em que o TEMPO DA GRANDE COLHEITA se aproxima RAPIDAMENTE ao longo dos próximos anos. Você vai ver a velocidade do vento em tempestades ultrapassando 300 milhas (480 quilômetros) por hora, às vezes. Deverão acontecer fortes tsunamis e devastação generalizada NAS REGIÕES COSTEIRAS, e emissão de energia solar (CME-Ejeção de Massa Coronal do Sol) que fará importante fusão e derretimento das calotas de gelo nos polos, e subseqüente aumento drástico no nível do mar, deixando muitas áreas metropolitanas submersas em todo o planeta“. Saiba mais AQUI

Há riscos para a América do Sul?

Segundo Renwick, a massa de água quente deve esfriar ao se aproximar da América do Sul. O especialista diz que o próprio movimento da mancha até águas mais frias pode provocar o esfriamento da temperatura antes de ela se aproximar do continente sul americano.

Se isso não ocorrer, a mancha pode “chegar a ficar razoavelmente próxima da América do Sul”, mas não deve alcançar a costa. No entanto, segundo a revista Science, embora os satélites facilitem a identificação dessas manchas de água quente, eles não são capazes de determinar com precisão a magnitude e o impacto ecológico delas nos ecossistemas.


As mudanças climáticas que o planeta esta enfrentando são inevitáveis, causarão grandes mudanças e tem como causa FATORES EXTERNOS, algo que muitos cientistas já descobriram. Saiba mais em:


A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL): “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar.

Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

PRÓSTATA AUMENTADA: QUAIS AS CAUSAS E COMO IDENTIFICAR OS SINTOMAS

Dr.ª Clarisse Bezerra

Médica de Saúde Familiar

Dezembro 2019

A próstata aumentada é um problema muito comum em homens acima dos 50 anos de idade, podendo gerar, como um dos sintomas, um jato de urina muito fraco, por exemplo.

Na maior parte dos casos, a próstata aumentada é provocada pela hiperplasia benigna da próstata. Por isso, é aconselhado consultar um urologista para fazer o exame de toque retal e descartar a hipótese de câncer, que também pode causar aumento da próstata.

Próstata aumentada: quais as causas e como identificar os sintomas

Como identificar os sintomas

Os sintomas de próstata aumentada são semelhantes aos de qualquer problema na próstata. Por isso, para saber qual o seu risco, selecione o que está sentindo:

  1. 1. Dificuldade para começar a urinar Sim Não
  2. 2. Jato de urina muito fraco Sim Não
  3. 3. Vontade frequente para urinar, mesmo de noite Sim Não
  4. 4. Sensação bexiga cheia, mesmo depois de ter urinado Sim Não
  5. 5. Presença de gotas de urina na cueca Sim Não
  6. 6. Impotência ou dificuldade para manter uma ereção Sim Não
  7. 7. Dor ao ejacular ou urinar Sim Não
  8. 8. Presença de sangue no sêmen Sim Não
  9. 9. Vontade repentina para urinar Sim Não
  10. 10. Dor na região dos testículos ou perto do ânus Sim Não

Estes sintomas geralmente surgem após os 50 anos e acontecem em quase todos os casos de próstata aumentada, porque a inflamação da próstata pressiona a uretra, que é o canal por onde a urina passa, dificultando a sua passagem.

Uma vez que os sintomas também podem indicar outros problemas na próstata, como prostatite, por exemplo, é muito importante consultar o urologista para fazer exames, como ultrassom ou exame de PSA, para confirmar o diagnóstico.

Como confirmar o diagnóstico

Em consulta com o urologista, vão ser avaliadas as queixas apresentadas e realizar o exame de toque retal. O toque retal permite ao médico avaliar se existe aumento da próstata e se há nódulos ou outras alterações causadas por câncer. Entenda como é feito o toque retal.

Além disso, o médico também pode pedir o exame de PSA, que normalmente estão acima de 4,0 ng/ml nos casos de hiperplasia da próstata. 

Caso o médico identifique alterações anormais durante o toque retal ou caso o valor de PSA esteja acima de 10,0 ng/ml, pode requisitar uma biópsia da próstata, para avaliar a possibilidade de o aumento estar a ser causado por câncer.

Assista o vídeo seguinte e confira os exames que podem ser realizados para diagnosticar problemas na próstata:

Quais as causas

Próstata aumentada: quais as causas e como identificar os sintomas

Como é feito o tratamento

O tratamento para próstata aumentada varia de acordo com a causa e a gravidade do problema. Por isso, pode ser feito da seguinte forma:

  • Hiperplasia benigna da próstata: nestes casos o médico inicia o tratamento com o uso de remédios, como tansulosina, alfuzosina ou finasterida, por exemplo,  para diminuir o tamanho da próstata e aliviar os sintomas. Nos casos mais graves, pode ser necessário fazer cirurgia para remover a próstata. Saiba mais sobre como é tratado este problema.
  • Prostatite: em alguns casos, a inflamação da próstata é causada por um infecção bacteriana e, por isso, o urologista pode receitar antibióticos. Veja como aliviar os sintomas da prostatite.
  • Câncer de próstata: o tratamento é quase sempre feito com cirurgia para retirar a próstata e, dependendo da evolução do câncer, pode ser necessário fazer quimioterapia ou radioterapia. Saiba mais sobre o tratamento.

Alguns remédios naturais que ajudam a completar o tratamento, com autorização médica, podem aliviar mais rapidamente os sintomas. Veja alguns exemplos desses remédios caseiros para a próstata.

FONTE: https://www.tuasaude.com/prostata-aumentada/

APLIKITA KINEZIOLOGIO

Kiropraktoro kaj profesia aplikita kineziologo montranta manlibron pri muskola testo MMT de Psoas-maĵora kaj Iliacus-muskoloj.

Ĉi tiu artikolo temas pri kiropractika aŭ alternativa medicina metodo. Por la scienca studo de homa movado, vidu Kineziologio.

Aplikita kineziologio

Aplikita kineziologio (AK) estas tekniko en alternativa medicino asertita povi diagnozi malsanon aŭ elekti kuracadon per testado de muskoloj por forto kaj malforteco. [1]
Laŭ iliaj gvidlinioj pri testoj pri alergio, la usona Kolegio pri Alergio, Astmo kaj Imunologio deklaris, ke ekzistas “neniu evidenteco de diagnoza valideco” de aplikata kineziologio. [2] “Alia studo indikis, ke la uzo de aplikata kineziologio por taksi nutra statuson ne pli utilas ol hazarda divenado”, [3] kaj la Usona Kancera Socio diris, ke “scienca evidenteco ne subtenas la aserton, ke aplikita kineziologio povas diagnozi aŭ trakti kanceron. aŭ alia malsano “. [4]
Historio kaj nuna uzo
George J. Goodheart, kiropractoro, estigis aplikatan kineziologion en 1964 [5] kaj komencis instrui ĝin al aliaj kiropractoroj. [6] Organizo de Goodheart Study Group-estroj komencis kunvenon en 1973, elektis la nomon “Internacia Kolegio de Aplikata Kineziologio” (ICAK) en 1974, adoptis statutojn en 1975, elektis oficirojn en 1975, kaj “atestis” ĝiajn ĉartajn membrojn (nomitajn “diplomatoj” “) en 1976. [7] ICAK nun konsideras 1976 esti la dato en kiu ĝi estis fondita kaj 1973 kiel la dato kiam ĝia unua prezidanto ekoficis. [8]
Dum ĉi tiu praktiko estas ĉefe uzata de kiropractoroj, ĝi ankaŭ nun estas uzata de multaj aliaj praktikantoj. [9] En 2003, ĝi estis la 10-a plej ofte uzata kiropractika tekniko en Usono, kun 37,6% de kiropractoroj uzantaj ĉi tiun metodon kaj 12,9% de pacientoj traktataj kun ĝi. [10] Iuj bazaj AK-bazitaj teknikoj ankaŭ estis uzataj / misuzitaj de distribuantoj de nutraj suplementoj, inkluzive de multnivelaj distribuantoj. [4] [9]
Postuladoj
Aplikita kineziologio estas prezentita kiel sistemo taksanta strukturajn, kemiajn, kaj mensajn aspektojn de sano per uzo de metodo nomata muskola respondo-testado aŭ mana muskola testado (MMT) kune kun konvenciaj diagnozaj metodoj. La esenca premiso de aplikata kineziologio, kiu ne estas dividita de ĉefa kuracista teorio, estas, ke ĉiu organa misfunkcio estas akompanata de malforteco en specifa responda muskolo en tio, kio nomiĝas la “viscerosomata rilato.” [4] [11] Kuracaj modaloj dependis. laŭ AK-praktikantoj inkluzivas komunan manipuladon kaj mobilizadon, miofasciajn, kraniajn kaj meridiajn terapiojn, klinikan nutraĵon kaj dietan konsiladon. [12]
Testado de muskolo
Mana muskola testo en AK estas farata per tio, ke la paciento rezistas uzi la celan muskolon aŭ muskolan grupon dum la praktikanto aplikas forton. Milda respondo estas foje nomata “forta muskolo” kaj respondo ne taŭga estas foje nomata “malforta respondo”. Ĉi tio ne estas kruda provo de forto, sed prefere subjektiva takso de streĉiĝo en la muskolo kaj glateco de respondo, konsiderata por esti indika diferenco de spindula ĉela respondo dum kuntiriĝo. Ĉi tiuj diferencoj en muskola respondo asertas esti indikaj al diversaj streĉoj kaj malekvilibroj en la korpo. [13] Malforta muskola testo egalas al misfunkcio kaj kemia aŭ struktura malekvilibro aŭ mensa streso, indika al suboptimcia funkciado. [14] Eble suboptima funkciado de la testita cela muskolo, aŭ kutime optimume funkcia muskolo povas esti uzata kiel indikila muskolo por aliaj fiziologiaj testoj. Ofte konata kaj tre baza testo estas la brako-tirata testo, aŭ “Delta-testo”, kie la paciento rezistas ĉar la praktikisto praktikas malsupreniĝan forton sur etendita brako. [15] Ĝusta poziciigado estas esenca por certigi, ke la muskolo en demando estas izolita aŭ poziciigita kiel la ĉefa movilo, minimumigante interferon de apudaj muskolgrupoj. [11]
Oni diras ke Muscle Response Testing (MRT) diferencas de Aplikita Kineziologio en tio, ke AK estas komplementa medicino, dum MRT nur testas unu muskolon ripete kiel binaran teston.
Testprovizo pri nutraĵoj
Nutro-testado estas uzata por ekzameni la respondon de diversaj pacientoj al diversaj muskoloj. Gustatoria kaj olfakta stimulo laŭdire ŝanĝas la rezulton de mana muskola testo, kun antaŭe malfortaj muskoloj plifortigitaj per apliko de la ĝusta nutra suplemento, kaj antaŭe fortaj muskoloj malfortigitaj per eksponiĝo al malutilaj aŭ malekvilibraj substancoj aŭ alergenoj. [11] [ 13] [16] Kvankam ĝia uzo estas malakceptita de la ICAK, [17] La ​​stimulo por testi la respondon de muskolo al iu kemiaĵo ankaŭ okazas per kontakto aŭ proksimeco (ekzemple, testado dum la paciento tenas botelon da piloloj).
Terapia lokalizado
Terapia lokalizado estas alia diagnoza tekniko uzanta manan muskolan testadon, kiu estas unika por aplikata kineziologio. La paciento metas manon, kiun oni ne testas sur la haŭto sur areon, suspektatan bezonon de terapia atento. Ĉi tiu fingra kontakto povas konduki al ŝanĝo de muskola respondo de forta al malforta aŭ inverse kiam terapia interveno estas indikita. Se la areo tuŝita ne estas asociita kun bezono de tia interveno, la muskola respondo estas ne tuŝita. [14]
Scienca esplorado
En 2015 la Departemento de Sano de la Aŭstralia Registaro publikigis la rezultojn de revizio de alternativaj terapioj, kiuj celis determini ĉu iuj taŭgas por esti kovritaj de sanasekuro; aplikita kineziologio estis unu el 17 terapioj taksitaj, por kiuj oni ne trovis klaran evidentecon de efikeco. [18] Laŭ la American Cancer Society, “disponebla scienca evidenteco ne subtenas la aserton, ke aplikata kineziologio povas diagnozi aŭ trakti kanceron aŭ alian malsanon”. [4]
Revizio de pluraj sciencaj studoj pri AK-specifaj proceduroj kaj diagnozaj provoj konkludis: “Kiam AK disiĝas de normala ortopedia muskola testado, la malmultaj studoj taksantaj unikajn AK-procedurojn aŭ refutas aŭ ne povas subteni la validecon de AK-proceduroj kiel diagnozaj provoj. La evidenteco ĝis nun ne subtenas uzon de mana muskola testado por la diagnozo de organika malsano aŭ antaŭ / subklinikaj kondiĉoj. “[19] Alia konkludis, ke” Ekzistas malmulta aŭ neniu scienca pravigado por ĉi tiuj metodoj. Rezultoj ne reprodukteblas se temas pri rigoraj testado kaj ne korelacias kun klinikaj provoj de alergio. “[20] Duoble-blinda studo estis farita de la ALTA Fundamento por Sporta Medicina Esploro en Santa Monica, Kalifornio kaj publikigita en la junio 1988-Revuo por la Amerika Dieta Asocio. La studo uzis 3 spertajn AK-praktikantojn kaj konkludis, ke “La rezultoj de ĉi tiu studo indikis, ke la uzo de Aplikita Kinesiologio por taksi nutraĵan staton ne pli utilas ol hazarda divenado.” [3]
Malgraŭ pli ol kvar jardekoj de revizio, RCT (randomigitaj, kontrolitaj provoj) kaj aliaj taksaj metodoj, eĉ investantoj esploris la jenan opinion:
Unu manko estas la manko de RCTs por fundamenti (aŭ refuti) la klinikan utilecon (efikeco, efikeco) de kiropractikaj intervenoj surbaze de MMT-trovoj. Ankaŭ, ĉar la etiologio de muskola malforto povas esti multifactorial, iu RCT kiu uzas nur unu reĝimon de terapio al nur unu areo de la korpo povas produkti rezultojn malriĉajn pro ĉi tiuj limigoj. [21]
Kritiko
Preskaŭ ĉiuj AK-testoj estas subjektivaj, fidante nur praktikan taksadon de muskola respondo. Specife, kelkaj studoj montris test-retestan fidindecon, inter-testan fidindecon, kaj precizecon ne havi pli bonajn ol hazardajn korelaciojn. [4] [22] [23] Iuj skeptikuloj argumentis, ke ekzistas neniu scienca kompreno de la proponata subtekria teorio de viscerosomata rilato, kaj la efikeco de la kategorio estas neŝanĝebla en iuj kazoj kaj dubinda en aliaj. [4] [16] Skeptikuloj ankaŭ malakceptis AK kiel “kvackery”, “magia pensado”, kaj misinterpreto de la ideomotora efiko. [24] [25] Ĝi ankaŭ estis kritikita sur teoriaj kaj empiriaj teroj, [24] kaj karakterizita kiel pseŭdoscienco. Kun nur anekdotaj kontoj asertantaj provizi pozitivajn pruvojn por la efikeco de la praktiko, revizio de kompaniaj reviziitaj studoj konkludis, ke la “evidenteco ĝis nun ne subtenas la uzon de [AK] por la diagnozo de organika malsano aŭ antaŭ / subklinikaj kondiĉoj. . “[19]
Pozitivaj deklaroj
Diagnoza alergio
En Usono, la Usona Akademio pri Alergio, Astmo kaj Imunologio [27] kaj la Nacia Instituto pri Alergio kaj Infektaj Malsanoj [28] ambaŭ konsilis, ke aplikata kineziologio ne estu uzata en la diagnozo de alergioj. La Eŭropa Akademio pri Alergologio kaj Klinika Imunologio, [29] la Nacia Instituto por Klinika Ekscelenco [30] [31] de la UK, la Aŭstralazia Socio de Klinika Imunologio kaj Alergio [32] kaj la Alergia Socio de Sud-Afriko [33] havas ankaŭ konsilis simile. La Monda Organizo pri Alergio ne havas formalan pozicion pri aplikata kineziologio, sed en edukaj materialoj el sia programo Tutmondaj Rimedoj En Alergio ĝi listigas kinesiologion kiel teston ne pruveblan kaj priskribas ĝin senutila. [34] En 1998, malgranda piloto-studo publikigita en la International Journal of Neuroscience montris korelacion inter aplikaj kinesiologiaj muskola testado kaj serumaj imunoglobulinaj niveloj por manĝaĵaj alergioj. 19 el 21 (90,5%) suspektataj manĝaĵaj alergioj diagnozitaj de aplikita kineziologio estis konfirmitaj per testoj de imunoglobulino serumo. [35] Sekva revizio publikigita en 2005 en la Nuna Opinio de Alergio kaj Klinika Imunologio finis ke aplikata kineziologio havis neniun provitan bazon por diagnozo. [36]

Usona Kiropraktika Asocio
Laŭ la Usona Kiropraktika Asocio, en 2003 Aplikita kineziologio estis la 10-a plej ofte uzata kiropraktika tekniko en Usono, kun 37,6% de kiropraktoroj uzantaj ĉi tiun metodon kaj 12,9% de pacientoj traktataj kun ĝi. [10] Ili priskribas AK jene:
Ĉi tio estas alproksimiĝo al kiropraktika kuracado, per kiu iuj specifaj proceduroj povas esti kombinitaj. Diversaj / manipulaj alĝustigaj teknikoj povas esti uzataj kun nutraj intervenoj, kune kun malpeza masaĝo de diversaj punktoj nomataj neŭrolimataj kaj neŭroskopaj punktoj. Klinika decidiĝo ofte baziĝas sur testado kaj taksado de muskola forto. [6]
Dana Kiropractika Asocio
Laŭ letero de la 26-a de marto 1998 de la DKF (Dansk Kiropraktor Forening – Dana Kiropraktika Asocio), sekve de publikaj plendoj de pacientoj ricevantaj homeopatan prizorgon kaj / aŭ AK anstataŭ norman (DKF difinitan) kiropractikan prizorgon, la DKF determinis, ke aplikata kineziologio ne estas formo de kiropractika prizorgado kaj ne devas esti prezentata al la publiko kiel tia. AK kaj homeopatio povas daŭre esti praktikitaj de kiropractoroj tiel longe, se oni konstatas, ke ili estas alternativaj kaj helpaj al kiropractikaj prizorgoj kaj ne estas plenumataj en kiropractika kliniko. Kiropractoroj eble ne deduktas aŭ implicas, ke la dana kiropractika profesio aprobas AK esti legitima aŭ efika, nek la vorton / titolon kiropractiko / kiropractoro povas uzi aŭ asocii kun la praktiko de AK. [37]

FONTO: https://en.wikipedia.org/wiki/Applied_kinesiology

APITERAPIO

Pikilo de abelo aplikita dum apiterapia kunsido.

Apiterapio estas branĉo de alternativa medicino, kiu uzas mielajn abelproduktojn, inkluzive de mielo, poleno, propolo, reĝa ĵeleo kaj veneno de abelo. Subtenantoj de apiterapio faras asertojn pri ĝiaj sanaj avantaĝoj, kiuj ne estas subtenataj de evidentaĵ-bazita medicino. [1] [2]
Historio
Referencoj al medicinaj ecoj de abelaj produktoj troveblas en ĉinaj, koreaj, rusaj, egiptaj kaj grekaj tradiciaj medicinaj praktikoj. [3] [4] Apiterapio estis praktikata ekde la tempoj de Hipokrato kaj Galeno. [5] [6] La pli moderna studo de apiterapio, specife uzante venenon de abelo, estis komencita de aŭstra kuracisto Philipp Terč [cs] en sia artikolo pri 1888 “Pri pekula ligo inter la abeloj kaj reŭmatismo.” [7] Pli lastatempa alternativa medicina praktiko estas atribuita al la hungara kuracisto Bodog F. Beck, kiu stampis la esprimon “abel-venena terapio” en 1935, [5] kaj la apiksisto Charles Mraz (1905–1999) en la lasta duono de la dudeka jarcento. [8] En 1957, la Sovetunia Ministerio pri Sano sankciis uzadon de abelo-veneno por trakti iujn malsanojn per aprobo de “Instrukcio por Apitherapio Venena Stinga de Nikolay Artemov” [9] [10]
Sano asertas
Pliaj informoj: Mielo § Kuracisto
Apitoterapio estas antaŭenigita kiel alternativa medicino por pluraj uzoj, [2] [11] sed ĝiaj sanaj asertoj ne estas subtenataj de scienca evidenteco. [2] Abeno-veneno aŭ aliaj mielproduktoj estas neefikaj por kuracado aŭ antaŭzorgo de kancero. [1]
Ĝenerale, evidenteco por uzado de mielo en vundita traktado estas tiel malalta kvalito, ke ne eblas fari firmajn konkludojn. [12] [13]
Riskoj
Adversaj reagoj al abelo-venena terapio estas oftaj. [14] Ofta ekspozicio al la veneno ankaŭ povas konduki al artropatio. [15] En sentivigitaj homoj, venenaj komponaĵoj povas agi kiel alergenoj, kaŭzante spektron de alergiaj reagoj, kiuj povas varii de milda, loka ŝvelaĵo ĝis severaj sistemaj reagoj, anafilactika ŝoko, aŭ eĉ morto. [16]
En marto 2018, estis raportite, ke 55-jaraĝa virino mortis post ricevi “vivan akupunkturon de abeloj”, suferante severan anafilaktikan epizodon, al kiu la apoterapia praktikisto ne respondis administrante adrenalinon. [17] Dum ŝi stabiliĝis de ambulancpersonoj survoje al la hospitalo, ŝi mortis kelkajn semajnojn poste pro komplikaĵoj rezultantaj en multobla organa malsukceso. [18] Viva akupuntura terapio estas “neaŭdita kaj neantaŭvidebla,” laŭ esploristoj, kiuj studis la kazon.

FONTO: https://en.wikipedia.org/wiki/Apitherapy

MOHENJO DARO, DESTRUIÇÃO POR BOMBA ATÔMICA POR VOLTA DE 2000 a.C.

Posted by Thoth3126 on 25/12/2019

Mohenjo Daro localizada as margens do lendário rio Indus no hoje Paquistão é um sítio arqueológico que ainda representa uma questão fascinante, foi a sede de uma antiga civilização, da qual ainda são ignoradas as causas do desaparecimento súbito e repentino, que adotou uma escrita pictográfica com um significado também ainda desconhecido e onde as roupas de algodão já eram usadas há quatro mil anos ( 1 ) ; o algodão mais antigo descoberto até agora. Mohenjo Daro, local onde não há tumbas, é chamado de Morro dos Mortos.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Mohenjo Daro, antiga civilização do Rio Indus, sua destruição por bomba atômica em torno de 2000 a.C.

Fonte:  https://www.bibliotecapleyades.net/arqueologia/esp_mohenjo_daro_6.htm

É o local de esqueletos “extremamente radioativos” ( 2 ) . Esqueletos, com traços de carbonização e calcinação, agora desaparecidos, e os pesquisadores descobriram que as mortes foram instantâneas e violentas. São restos de homens, mulheres e crianças, e não de guerreiros que morreram em batalha. Armas não foram encontradas e nenhum ser humano mostra ferimentos por armas de corte ou de guerra.

As posições e locais onde os ossos foram encontrados indicam mortes instantâneas, que ocorreram sem tempo material para as vítimas perceberem o que estava acontecendo; pessoas foram apanhadas durante as suas ações diárias habituais. Alguns foram do sono até a morte, junto com dezenas de elefantes, bois, cães, cavalos, cabras e veados.

A descoberta arqueológica da cidade veio à luz em 1921, quando a arqueóloga Daya Harappa, de quem a civilização descoberta foi nomeada, foi contratada para recuperar as ruínas de um templo budista localizado em uma ilha no meio do rio Indus.

Anteriormente, em 1856, John e William Brunton , encarregados de construir um trecho de ferrovia, relataram que havia ruínas na área da qual numerosos tijolos foram retirados para construir uma estrada ferroviária. As escavações, continuadas pelo governo paquistanês, desvelou a existência de um núcleo urbano com sete cidades sobrepostas em camadas, uma acima da outra, e outras mais seriam encontradas se as escavações continuassem abaixo do nível do rio. Sete camadas de cidades se sobrepondo nesta colina como as ruínas de Troia.

Mohenjo Daro, com sua piscina coberta de doze metros, sem templos e um palácio, característico de todas as cidades antigas; mas com ruas de até dez metros de largura e prédios construídos em tijolos cozidos completamente semelhantes aos nossos, com até três andares de altura, equipados com água encanada, banheiros, canalização de esgoto e água da chuva. Em outras palavras, uma cidade moderna de incríveis quarenta mil habitantes, dedicada à caça, pesca, produção de cerâmica, a principal atividade industrial do local, desapareceu no ar instantaneamente e acabou carbonizada, como foi deduzido dos únicos quarenta e três restos de esqueletos humanos encontrados.

Poços que levavam água para os andares superiores das casas senhoriais, em uma área longe do epicentro da explosão.

Com os habitantes de Mohenjo Daro, uma cabeça de terracota, sem rosto, com uma estranha “abertura ao nível dos olhos”, da qual  as fotos tiradas por Davemport e Vincenti, indicam a peça como um “capacete de guerra”, desapareceu misteriosamente.

Curiosidade: nenhum capacete desse tipo foi encontrado em outro local.

Os primeiros assentamentos na bacia do fértil vale do rio Indus datam de 9.000 anos atrás. Segundo estimativas, havia mais de 2.500 centros habitados no vale do Indus. O principal recurso são os produtos cerâmicos de excepcional qualidade tecnológica, com conteúdo de sílica médio-alto.

Em Mohenjo Daro, que se acredita ter sido destruída pela explosão de dois dos inúmeros fornos presentes, devido a uma temperatura excessiva atingida na câmara de combustão, destacada, segundo a ciência oficial, por blocos parcialmente derretidos e milhares de gotas enegrecidas de argila vitrificada. Dizem que escavações são proibidas por “necessidades conservadoras”.

2000 a.C.: distruzione atomica: La misteriosa scomparsa di una città Titanica nella Valle dell'Indo (India Misteriosa) (Italian Edition) por [Davenport, David William , Vincenti, Ettore ]

David Davemport e Ettore Vincenti , autores do livro “2000 a.C.,Distruzione Atomica” [Destruição Atômica em 2000 a.C.], tiveram alguns detritos enegrecidos coletados na área considerada o epicentro da explosão examinada, em amostras de vasos e tijolos, pulseiras e areia vitrificadas. A partir das análises realizadas pelo Instituto de Mineralogia da Universidade de Roma, a argila resultou, como já mencionado anteriormente, ter sido submetida a uma temperatura superior a 1500 graus por algumas frações de segundo.

Isso teria causado o início de uma fusão que foi imediatamente interrompida, excluindo que o calor de um forno, sem falar em outros desastres naturais, poderia produzir esse efeito. Os resultados foram confirmados pelo Prof. Bruno Di Sabatino, vulcanologista do Instituto de Mineralogia e Petrografia, com quem o Prof. Amuleto Flamini e o Dr. Giampaolo Ciriaco colaboraram.

Evidências adicionais da ausência de fenômenos vulcânicos e sísmicos na região, os poços de água permaneceram no seu local original. Segundo Davemport, especialista em sânscrito, o Ramayana [Caminho de Rama] forneceria a chave certa para a leitura do que aconteceu em Mohenjo Daro.

É descrita a história de Ravana de Sri Lanka que força seu irmão Dhanada a se aposentar no Himalaia, apoderando-se do reino em seu lugar. Ravana o persegue, o vence e toma posse do seu veículo [VIMANA] voador, o prestigiado “Pushpaka vimana”. Fala-se de uma aeronave equipada com pilares dourados, portões de esmeralda, tão rápida quanto o pensamento, construída sob as ordens de Brahma . A bordo deste vimana, Ravana, desceu do sagrado Monte Kailash.

Na parte do poema chamado “Uttara Kanda”, no capítulo 23, está escrito:

“Vendo o exército deles abatido em voo, os filhos de Varuna, esmagados pela chuva de mísseis, tentaram parar a luta. Eles estavam fugindo para o subsolo ( 3 ) quando viram Ravana em seu Pushpaka Vimana. De repente, mudaram de rumo e se jogaram no céu com sua frota de máquinas voadoras. Uma briga terrível estourou no ar. “

Ravana sequestra Sita [consorte de Rama], filha de Jawata, rei da cidade de Mithila e esposa de Rama , que após uma amarga batalha matará Ravana e libertará Sita.

Efeito do calor intenso nas rochas. As bolhas presentes atestam a temperatura extremamente alta à qual foram expostas por uma fração de segundo.

O capítulo 88 de Uttara Kanda lê a reação do rei Jawata:

“Indra queimará o reino daquele vilão com uma chuva de poeira esmagadora. Chegou a hora do extermínio daquele louco e de seus seguidores.”

Então o dardo de Indra destrói a fortaleza de Ravana.

Mas seu reinado, situado entre as montanhas Vindhya e Saivala, hoje Aravalli e Sulaiman , corresponde a Lanka , uma palavra que significa ilha, que é Mohenjo Daro localizada exatamente em uma ilha do rio Indus. Conclusões ousadas, mas mais confiáveis ​​do que qualquer outra, ligadas às histórias sobre vimanas, o meio de transporte comum das pessoas que vieram das estrelas, narradas em Ramayana e seu excerto, o Mahabharata .

Amostra de pedras negras derretidas por calor.intenso

Com esta tecnologia, o uso de armas atômicas não pode ser descartado, nem o uso dessa energia é a causa do desaparecimento de “Lanka”. Outros povos nos contam eventos semelhantes. Da China, vêm histórias de eventos remanescentes dos descritos nos dois livros sagrados indianos. Diz-se que a China foi governada por reis divinos por dezoito mil anos, narrações de feitos em comum com a Índia, Suméria e o Egito. Ele fala de uma época em que homens e animais viviam em harmonia em um jardim que lembra muito o Paraíso.

Em Shan-hai-ching , um livro sagrado, falamos do “Miao”, uma raça humana com asas que, em 2.400 a.C, discutiu com o “Senhor das Alturas” e perdeu a capacidade de voar.

Também se fala de quando o Senhor Chang-ti , vendo que a raça dos atlantes perdeu toda a virtude, ordenou que dois Dhyani ( 4 ) , Chang e Li, parassem todo contato entre o céu e a terra. Há a história dos dez sóis e do arqueiro Yi; mas descreve a história de quatro gigantes celestiais que, à frente de cem mil guerreiros, correm em auxílio de Shang comprometidos em defender a montanha de Hsich’i. O gigante mais velho tinha sete metros de altura e tinha uma espada chamada “nuvem azul”.

Quando ele a desembainhou, “um vento negro emergiu de onde saíram milhares de lanças que atingiram o inimigo pulverizando-o”.

Por trás do vento “uma roda de fogo encheu o ar com dezenas de milhares de cobras douradas”, uma fumaça espessa subiu do chão que queimou e cegou as pessoas. Durante a leitura, também encontraremos os Imortais a cavalo de dragões e unicórnios, talvez aeronaves; conheceremos o velho imortal do sul, que vem de Agartha e dá a Tzu-Ya, herói da história, uma arma “que queima o chão e produz luz”, com a qual ele pode conquistar o mundo.

Histórias idênticas às da Índia, na Suméria, dos celtas da tribo Tuatha de Danaan , que ocorrem em todas as partes da Terra no mesmo período e lembram armas de raio lasers e dispositivos voadores.

Depois de vencer Ravana, Rama voa para a cidade de Ahyodhya com o Pushpaka Vimana vencido pelo inimigo, para trazer Sita para casa. A descrição da viagem atesta que Rama está acostumado a voar. De cima, ele reconhece os lugares que voou e os lista em Sita. Ele ainda menciona o Monte Kailash e sua forma piramidal, indicando-o como o lugar “visitado por homens do céu” e usado como ponto de referência como consequência de sua forma.

Reprodução de como seria Mohenjo Daro há cerca de 4 mil anos.

Por coincidência, falamos do Monte Kailash, hoje considerado sagrado e com sua forma piramidal, e que o nome Sita é o mesmo que é atribuído ao rio Shambhala?

A história também confirma que Mohenjo Daro é Lanka:

“Veja como o Lanka foi construído por Vishvakarma no topo da fortaleza de três pontas que se assemelha ao pico de Kailash ( 5 ) . Olhe para o campo de batalha coberto com uma lama de carne e sangue, houve uma grande carnificina de Titãs por lá ( 6 ) .

Ali fica o feroz Ravana. (…) Agora chegamos a KishKindha com seus magníficos bosques, naquele lugar que matei Bali. “

Rama é um especialista em geografia aérea de um território de cerca de dois mil quilômetros de largura. Quem escreveu o Ramayana, como ele poderia saber tudo isso? O autor era um especialista em vôo e manutenção de mapas de toda a região? Segundo Davemport ,

“os autores antigos certamente viram e testemunharam seus efeitos; mas, como conseqüência da pobreza da linguagem ou da falta dos termos necessários, a imagem que eles dão está ausente do ponto de vista técnico-descritivo”.

Isso já aconteceu quando os nativos americanos entraram em contato com a tecnologia da raça branca e com animais que desconheciam, como o cavalo, que chamaram de “cachorro grande”.

Tínhamos “as varas trovejantes”, as “facas compridas”, o “cavalo de ferro”. Os arianos viram a “flecha inteligente”, “o pássaro habitado”, a “flecha que segue os sons”, “a arma do sono”. É o Vymanika Shastra que fornece os dados técnicos para se produzir um objeto voador muito semelhante às cápsulas espaciais.

É evidente que o autor deste livro foi capaz de observar as “Vimanas” voando nos céus por um longo tempo, de modo a fornecer informações precisas. O Dr. Josyer, diretor da Academia Internacional de Pesquisa Sânscrita em Misore, na Índia fornece essas informações. Segundo Davemport e Vincenti, a descoberta pode ajudar a aprimorar nossa tecnologia.

Outra evidência a favor da tese de Vincenti e Davemport, infelizmente desapareceu prematuramente, é fornecida pelos estudos do Dr. Roy, diretor do Institute of Chronology of New Delhi .

Das investigações histórico-arqueológicas, parece que Mohenjo Daro é realmente o Lanka de Dasagriva, a cidade de Ravana mencionada no Ramayana. De fato, o poema nasceu na conquista de Mohenjo Daro há cerca de quatro mil anos atrás. Dr. Roy identifica o moderno Kalat na região que era então conhecida como Kishkindha . Um ponto do vale do rio Indus onde a língua, chamada Telogu, era uma elaboração da família Dravidica.

Na guerra de Deva Asura, este Dasatha lutou contra Timidhwaja, pertencente à raça dos Rakshasas e aliado de Shambara, cujo emblema, uma Timi (baleia), sugere que ele morava perto do mar, talvez em Makran, onde Ravana também morava. Além disso, “ravana” era um título, uma denominação simples, não um nome próprio, o nobre morto por Rama era Dasagriva, conhecido como Senhor do Lanka, ou seja, Ravana de Lanka.

A partir de dados históricos, descobrimos que Dasagriva Ravana era um amigo do rei de Kishkinda. O reino de Ravana estava em Sind, e Mohenjo Daro era sua capital.

Assim, o império Harappa tinha a cultura da raça Danava no norte, com seu centro em Hariupia; ao sul, Rakshasa, com a capital Mohenjo Daro, conhecida como “a ilha” ou Lanka na língua Telogu,

“uma estreita faixa de terra entre o leito principal do rio Indus e a curva oeste do rio Nara, sujeita a inundações até que um longo aterro foi capaz de impedi-los”.

Há restos desse aterro artificial pré-histórico por uma milha. Inundações subsequentes também são evidentes com a conseqüente deposição de camadas de sedimentos de areia que elevam o piso em trinta pés (nove metros). Estudos hidrográficos realizados na região de Sind mostraram que o rio Indus inundou o oeste de Mohenjo Daro em 2000 aC. Outra demonstração é o gigantesco aterro anti-inundação que o cerca.

Uma peça manufaturada de Alumínio com a idade de 20 mil Anos, um trem de pouso de um “Vimana” (uma antiga espaçonave) da antiga ÍNDIA – Bharata – foi descoberto. FONTE

Naquela época, durante as inundações, Swarna Lanka tinha que aparecer como descrita : a ilha dourada . As batalhas aéreas do Mahabharata também teriam realmente acontecido. Segundo Roy em 1.424 a.C. A confirmação de Mahabharata de que pertenceria à Idade do Cobre, uma vez que a palavra védica muito antiga “ayas” significa “cobre”.

Dr. Roy afirma que Vyasa usou a palavra “ayasa bhima”, não “Iron Bhima”. As escavações teriam revelado que as últimas culturas de Harappa e Kuru coexistiram, e o Dr. Roy mostrou que essas duas culturas pertenciam à era do cobre, portanto à era védica. O material astronômico do Rig Veda revela que em 3.070 a.C. o rei Manu reinou; em 2.000 a.C. Rama e Dasaratha. Em 2.005 a. C. a derrota e o saque de Lassa ocorreram, colocando assim a Divodasa em 2.005 aC

Naquela época, vários povos viviam no país. Havia os Devas, os arianos védicos, os adoradores de Indra e os Asuras, proponentes de guerras ferozes por volta de 2.000 a.C., que lhes deram o apelido de perversos. Um fato histórico que começou no reino de Divodasa em 2.030 a.C. e terminou com a grande batalha “Dasa Rajana”. Assim, temos a confirmação de que Dasaratha participa ativamente da guerra ao lado de Divodasa contra Timidhwaja, e esse fato mostra que a batalha ocorreu entre dois exércitos humanos.

Os Danavas foram comandados por Shambara, rei de Hariyupia, filho de Kulitara, que viveu e governou por volta de 2.000 a.C. Divodasa travou uma guerra contra ele, matou-o e Hariyupia (ou Harappa) foi conquistada. Toda a região de Asura fez uma oferta para resgatar a cidade, mas em uma horrível batalha no rio Parushni (agora Ravi), Sudasa os rejeitou. É uma batalha conhecida como a dos dez reis (1.930 a.C.). Os dados históricos também fornecem a data de planejamento da cidade de Harappa, 2.550 a.C.

Caracteres da escrita de Mohenjo Daro, até hoje ainda não decifrada, permanece um enigma

Na região de Harappa, havia uma civilização comercial por excelência, também habitada pelos nagas [povo SERPENTE] e janas, que também eram excelentes comerciantes e industriais. No poema também há referências aos Vanaras e seu grande rei Bali, aliado de Ravana, assim tudo se forma e encontra as correspondências históricas corretas; não podemos mais falar de coincidências .

Devemos considerar a possibilidade de que tecnologias avançadas foram usadas e o uso de armas atômicas, quatro mil anos atrás (e não apenas somente na Índia, no Oriente Médio, Sodoma e Gomorra também foram incineradas por artefato atômico). Uma investigação, embora limitada em sua viabilidade, na área poderia fornecer outras evidências. Seria o suficiente para verificar o aumento de mortes após câncer, quantas escavadeiras; quantas gravações de objetos com traços radioativos.

Ainda existem áreas com traços de radioatividade que, segundo se diz, muitos ainda evitariam para “não serem mortos por maus espíritos”? Mediante consulta, ainda que limitada, de documentos e registros pessoais e funerários; alguma coisa, se você quiser, acho que podemos verificar.

Notas:

  1. O algodão, procedente das Américas, foi introduzido no Mediterrâneo apenas em 300 a.C.
  2. Segundo Gobrovski, autor de “Enigmas da Antiguidade”, cinquenta vezes mais do que o normal.
  3. Davemport e Vincenti se perguntavam se eram abrigos subterrâneos.
  4. Denominação com que os deuses são indicados na doutrina esotérica, como veremos mais adiante.
  5. Isso lembra a cidade das três alturas e suas histórias.
  6. Desta forma, os habitantes de Lanka foram indicados.

“Há muito mais coisas entre o céu e a terra, Horácio, do que imagina tua vã filosofia”. – Hamlet.


Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

ORIGEM E FUTURO DO PLANETA TERRA

A Origem e o Futuro do Planeta TERRA:  Meus amados, gostaria de falar-lhes sobre a origem e a história do seu planeta, a Sagrada Mãe Terra, e como os planetas surgiram. No começo, antes mesmo da existência do tempo, havia o Pensamento. Havia a consciência, a presença, e se preferirem, havia a Unidade criadora em expansão. E o Pensamento criou a expressão da Energia criadora que não pode ser contida. …

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Terra: a origem e o futuro do nosso planeta.

Fonte: http://www.luzdegaia.org/joshua/judith/origem_terra.htm

Contato em Judith @Oakbridge.org. ou no website: http://www.Oakbridge.org.

… A presença em vocês não pode ser e nunca será contida em nenhuma esfera da realidade com “r’” minúsculo. A Realidade, com “R” maiúsculo, está sempre em expansão. A Unidade está em constante expansão, expressão e experiência. O Pensamento criou a Luz, e a Luz gerou a forma, amalgamando luz na forma. E nesse momento fora da dimensão de tempo, pois ainda não havia a ideia de tempo, fez-se a união da forma com a energia e criou-se o que olhando para os céus chamam de constelações de estrelas, o universo e vários outros corpos de energia nos quais viveram e reconheceram-se como Ser, advindos da energia do Pensamento.

Falarei como se houvesse uma forma linear de tempo, embora ainda não existisse a idéia de tempo nesse momento. Havia apenas a criação. O tempo, o conceito de tempo, veio mais tarde. Mesmo quando seus cientistas medem a luz gerada de galáxias distantes, o fazem em anos-luz e em tempo linear. Na verdade, a criação é bem anterior ao que os cientistas definem ou conseguiram definir até agora, porque estão circunscritos ao conceito de tempo. Para ir além é comparar, mais ou menos, com os primeiros desbravadores que achavam que a Terra era quadrada e que passando determinado ponto do horizonte cairiam. 

Os cientistas pesquisando o conceito de tempo estão descobrindo que o pensamento e a energia do pensamento não necessitam do tempo, na verdade, não podem ser restritas a tempo nenhum. Portanto, em eons e eons passados, viveram em galáxias muito distantes do universo. Reconheceram-se criadores, parte do fluxo do pensamento e da energia. E ao experienciar nas diversas formas de corpos estelares, reconheceram-se até como o próprio sol.

Eram a atividade e a energia, e ainda o são, do sol e das estrelas. Entendiam ser a extensão da Energia além do sol e das estrelas; expandindo, sem limites. E se movimentaram dessa forma através do que chamam eons de tempo, até que houve o pensamento: “O que mais posso criar?”. E criaram novas galáxias dentro do vasto universo, o qual continua se expandindo.  

Movimentaram-se assim para o sistema solar. Vocês já experienciaram a vida em diversas constelações estelares; Plêiades, Sirius, Arcturus, Órion e tantas outras onde experimentaram e expressaram a Existência criadora, lugares onde formaram as assim chamadas hoje em dia, grandes civilizações. Criaram a tecnologia, novamente não na acepção conhecida de hoje. Produziram naves espaciais que viajavam com a velocidade do pensamento, mais rápidas que a velocidade da luz, e não as naves lentas que concebem no momento. 

Desbravadores é o que são. Querem conhecer as fronteiras mais distantes. E quando chegam à fronteira, como na idéia da Terra ser quadrada, descobrem que além daquele horizonte, existe outro horizonte a ser descoberto e assim por diante. Por isso são chamados desbravadores, porque continuam criando. Por quê? Porque há alegria na criação, porque querem criar. Querem experimentar e expressar a divindade em cada um. 

Querem sentir a força da divindade e não a força mundana, já experimentada tantas vezes. A força que é espargida hoje e sentida até pela consciência coletiva é a força da divindade, a força do pensamento, a força de ir além dos limites.  

Agora ao contemplarem os céus verão a luz das estrelas-sóis, constelações (conjuntos de sóis-estrelas) onde na verdade houve e continua havendo manifestação. Sabem que já viveram em alguns desses corpos de energia, e a julgar pelos anos-luz que o brilho de certas estrelas demora em chegar aqui, como explicam os cientistas, podem estar nesse momento admirando a si mesmos em experiências anteriores do Ser. Esse pensamento possibilita a mente se expandir um pouco mais. 

À medida que quiserem, e é intrínseco da sua natureza, continuarão expandindo o universo. Ao trabalhar com a energia criadora, há momentos que querem criar algo novo e fazem o que se conhece por involução da energia. Os buracos negros, como são chamados, implodem uma grande quantidade de energia densificada e criam o novo. Faz parte de experimentar e provarem a si mesmos o quanto podem expandir e criar.

Já tiveram diversas experiências em várias constelações e em vários planetas, dentro e fora do sistema solar. A princípio eram o sol, a própria energia e consciência dessa estrela. Houve então a expansão para criar outras formas de corpos celestes e os diversos planetas que circundam o sol e a energia solar. Permaneceram sendo o sol, a estrela, dentro de vocês. Como criadores que são, focaram sua atenção para a vida presente que caminha sobre a Terra. 

Quando o planeta foi formado, viviam dentro dele, e ele dentro de vocês, como consciências. E houve o pensamento: “O que mais poderia existir?” Então alguns deram caráter a esse pensamento e subiram à superfície. Não subiram à superfície fisicamente, mas como consciências expandidas permeando tudo que estava sendo criado. E o planeta, tal como é conhecido, passou por muitas mudanças. 

Também já viveram em outros planetas do sistema solar. Mas, viajantes como são, não há contentamento em permanecer em um único planeta. Falamos anteriormente do planeta MALDEK e sua maravilhosa civilização e obras avançadas em tecnologia; lugar que após sua explosão formou o chamado cinturão de asteróides no local de sua antiga órbita, entre Marte e Júpiter, formas físicas de energia flutuantes.  

Parte da energia de MALDEK foi direcionada para parte da massa e das luas de Júpiter. Outra parte da energia física transformou-se em parte da massa e alguns dos anéis de Saturno. Esses planetas absorveram assim a energia de MALDEK.  Estão agora investigando se existiu vida no planeta Marte. Claro que existiu. Vocês estiveram lá? Sim, já estiveram. 

Acima: O Cinturão de Asteroides, restos da explosão do planeta MALDEK, entre a órbita de Marte e Júpiter. Os dois maiores pedaços do planeta hoje são as duas luas de Marte, Phobos e Deimos.

Na ocorrência dos eventos históricos existiu a chamada era do gelo, época em que havia grande quantidade de gelo sobre a Terra. Quando MALDEK explodiu, o efeito ondulante da energia causada pela explosão evaporou boa parte da cobertura glacial de Marte e essa ação foi reverberada para outros planetas. Ainda existe água em Marte, mas como conseqüência do calor da explosão de MALDEK, parte da água da superfície de Marte veio para a Terra, agregando-se a água derretida do gelo. Não havia tanta água assim em nossa sagrada Mãe Terra antes. As massas terrestres mudaram, aqui e em Marte. 

Após diversas experiências passadas em outros planetas do sistema solar e em outras constelações vocês chegaram a Terra como poeira das estrelas. Trouxeram lembranças e influências culturais de MALDEK e Marte. Como poeira das estrelas estão no processo de fundir valores culturais e sistema de crenças em um conjunto harmonioso, o qual chamo de Reconciliação, o despertar da Unidade. 

Muitos irão retornar as suas constelações/sóis-estrelas DE ORIGEM quando receberem o chamado. Porém, ainda permaneceram neste planeta talvez muitas e muitas vidas, em tempo linear, porque concordaram em trazer a luz para cá e trarão o conhecimento expandido de como este planeta foi formado e por quê. Porém, falando em tempo linear novamente, no futuro, muitos sentirão o chamado para retornarem pelos portais interestelares. 

Já falamos dos portais em oportunidades anteriores; de como se fecharam e de como agora voltarão a se abrir. Foram fechados na época da destruição de MALDEK, quando o Conselho Espiritual sentiu que a consciência coletiva do sistema solar estava muito focada no eu inferior (o ego humano temporário) e que a força criadora poderia ser usada de forma não benéfica e harmoniosa contra outras constelações, por isso os portais foram temporariamente fechados até que a consciência coletiva amadurecesse um pouco mais. 

Os dois maiores pedaços do planeta MALDEK, após a sua explosão, foram colocados pela Federação GALÁCTICA, em órbita de Marte, como suas duas luas, para que o planeta vermelho se estabilizasse em uma nova órbita.

Está chegando o momento dos portais se abrirem novamente, possibilitando a comunicação com outras constelações e outras formas de vida inteligentes. Os astrofísicos recentemente descobriram um planeta na constelação de Leo onde há vida. Existe agora a concordância de uma expansão da consciência coletiva. Com os portais se abrindo haverá um gotejamento, que se transformarão numa inundação, de informação, recordações de como e onde já estiveram. 

O planeta, a sagrada Mãe Terra, continuará sendo o que é por muito, muito tempo porque se voluntariou para ser parte da energia divina, para servir de lugar onde podem experimentar ser o que se assemelha a uma caixa de areia, a coexistência harmoniosa ou não.  Sempre há escolha. Porém, haverá um tempo, quando o propósito desse planeta for cumprido, em que a energia do pensamento será retirada dele. Consentindo que ele se torne novamente parte da Luz do todo no cosmos e flua livremente como antes de ser formado. Não precisam se preocupar agora “Quando isso irá ocorrer? Estarei aqui nesse momento? Preciso procurar um abrigo seguro ou algum lugar sagrado? 

Como dito anteriormente, muitos não estarão mais aqui quando isso acontecer, porque já terão juntado sua energia individual a outros em outras constelações, onde já experimentaram a alegria e o companheirismo. Já tiveram muitas existências, muitas delas longe de casa não apenas da casa de seu Pai, mas do reino de seu Pai, longe da família onde estão os amigos, os companheiros com quem trilharam vários caminhos, criaram e conheceram a unidade juntos. 

Há ocasiões em que querem retornar. Ao olhar para os céus, contemplam e pensam: “O que há lá em cima? Por que me sinto atraído por determinada estrela? E sentem a ressonância, às vezes, até uma pequena saudade, um sentimento de que “já fui parte daquilo”. E agora conhecendo a sua origem podem afirmar: “Sim, já fui parte daquilo”.

Desbravadores é o que são, aventureiros e criadores, e sempre estarão cruzando novas fronteiras, criando novas galáxias. Mesmo agora, enquanto falo, podem estar criando novas estrelas. Trazem a involução da energia dos buracos negros, e há vários deles nesse momento de onde a energia está sendo puxada para densificar-se e explodir novamente em partículas de luz cascateando novas estrelas, galáxias e fronteiras. Querem saber como essas novas fronteiras são? Claro que sim. Por isso possuem, nesse momento, a coragem de permitir a imaginação se expandir na direção da Unidade, do conceito da Unidade. 

Os cientistas estão começando a compreender. Sempre questionaram o tamanho e a natureza do Universo, até mesmo o infinito questionam se é finito. Deve haver um fim. Mas, não há fim, porque o fim está sempre sendo recriado, o universo está e continuará sempre se expandindo. É disso que são feitos, da matéria que cumprindo o seu papel retorna à energia do pensamento para renascer novamente. Como as estações do ano, a o tempo de recolhimento e o tempo de floração. A vida renasce, depois amadurece, envelhece e se transforma em frutos, gerando civilizações conscientes de tudo o que são e o que podem ser. Nesse movimento cíclico existe o tempo em que os frutos são colhidos, transformados em sementes e após o recolhimento criem novas vidas novamente, sempre em expansão. 

Acima de qualquer conceito de tempo, existe a consciência, a expressão e a experiência que estão fora dessa esfera. Isso não significa menosprezar o tempo, pois ele é muito valioso. Porém, dentro do todo que são, o conceito de tempo abarca apenas um pequeno percentual. Significa dizer o quanto incomensuráveis e maravilhosos vocês são. Tendo dito, os deixarei ponderar sobre tudo isso por hora. Que assim seja.   

Fonte: http://www.luzdegaia.org/joshua/judith/origem_terra.htm


“A exposição à verdade muda a tua vida, ponto final – seja essa verdade uma revelação sobre a honestidade e integridade pessoal ou se for uma revelação divina que reestrutura o teu lugar no Universo. Por esse motivo é que a maioria (a massa ignorante do Pão e Circo) das pessoas foge da verdade, em vez de se aproximar dela”. {Caroline Myss}

“Conhece-te a ti mesmo e conheceras todo o universo e os deuses, porque se o que tu procuras não encontrares primeiro dentro de ti mesmo, tu não encontrarás em lugar nenhum” 

Frase escrita no pórtico do Templo do Oráculo de Delphos, na antiga Grécia.


Permitida a reprodução desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

CLIMA: 11 MIL CIENTISTAS ALERTAM PARA “SOFRIMENTO INCALCULÁVEL”

Publicado em 06/11/2019 – 09:21

Por NHK* –

Incêndios florestais avançam na Califórnia

Para marcar os 40 anos da primeira conferência mundial sobre o clima, realizada em Genebra em 1979, mais de 11 mil cientistas de 153 países alertaram para o “sofrimento incalculável” que as alterações climáticas irão provocar, a menos que haja grandes transformações na sociedade.

“Declaramos clara e inequivocamente que o planeta enfrenta uma emergência climática”, dizem os cientistas na revista BioScience, em artigo publicado nessa terça-feira (5). “Para garantir um futuro sustentável, precisamos mudar a forma como vivemos”.

“Isso implica grandes transformações no modo como a sociedade global funciona e interage com os ecossistemas naturais”, acrescentam os cientistas, alertando ainda que não há tempo a perder.

“A crise climática já chegou e avança mais rápido do que a maioria dos cientistas esperava. É mais grave do que se pensava e ameaça ecossistemas naturais e o destino da humanidade”.

As medidas sugeridas pelos especialistas passam por deter o crescimento populacional – atualmente há mais 200 mil pessoas no mundo a cada dia -, reduzir a utilização de combustíveis fósseis por meio da aplicação de taxas e substituindo-a por energias renováveis, impedir a destruição de florestas e diminuir o consumo de carne.

Áreas da terra inabitáveis

Outra prática que traz “sinais profundamente perturbadores” em termos de clima é a atividade aérea, com o número de passageiros aumentando significativamente. “A crise climática está ligada ao excessivo consumo de um estilo de vida rico”, defendem os especialistas.

“Essas reações climáticas em cadeia podem causar perturbações significativas nos ecossistemas, na sociedade e nas economias, tornando vastas áreas da terra inabitáveis”, advertem.

“A boa notícia é que uma mudança, com justiça social e econômica para todos, levará a um bem-estar muito superior àquele que sentimos atualmente”.

Os mais de 11 mil cientistas de 153 nacionalidades colaboraram para a elaboração dessa mensagem. O professor William Ripple, principal autor do comunicado, diz ter sentido a necessidade de passar a mensagem para que sejam entendidas todas as causas e efeitos dessa crise, e não apenas os problemas mais abordados como as emissões de carbono e o aumento da temperatura global.

*Emissora pública de televisão do Japão

Tags: alterações climáticas cientistas alerta

FONTE: http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2019-11/clima-11-mil-cientistas-alertam-para-sofrimento-incalculavel