MAIS DE 500 CIENTISTAS RENOMADOS REJEITAM A TEORIA DE EVOLUÇÃO DE DARWIN

01/11/2018 n3m3

darwin

17

Ontem, foi publicado aqui no OH um artigo intituladoMilitar visualizador remoto enxergou a forma como os humanos foram criados, artigo esse que poderia estar mostrando evidências de que a Teoria da Evolução levantada por Darwin pode estar muito longe da verdade.

Como mencionado naquele artigo, vários cientistas contestam aquela teoria, e abaixo você pode constatar isto.

Veja:

É incrível como a teoria da evolução é empurrada para a população como ciência factual e sólida, mas como o professor Colin Reeves, do Departamento de Ciências Matemáticas da Universidade de Coventry, explica: “O Darwinismo foi uma ideia interessante no século XIX, quando foram dadas explicações com uma estrutura plausível, embora não propriamente científica, na qual puderam  encaixar fatos biológicos. No entanto, o que aprendemos na ciência nos dias de Darwin lança dúvidas sobre a capacidade da seleção natural de criar sistemas biológicos complexos – e ainda temos pouco mais que agitação como argumento a seu favor.”

Reeves é um dos 500 cientistas em vários campos que se uniram alguns anos para criar ‘uma dissidência científica do darwinismo’. Aqui está outra grande citação de um dos cientistas, Chris Williams, Ph.D., Biochemistry Ohio State University:

Como bioquímico e desenvolvedor de software que trabalha com triagens genéticas e metabólicas, fico impressionado com a incrível complexidade da vida. Por exemplo, cada um de nós tem um vasto ‘programa de computador’ de seis bilhões de bases de DNA em cada célula, o qual orientou nosso desenvolvimento a partir de um óvulo fertilizado, especifica como fazer mais de 200 tipos de tecido e une tudo isso em numerosos sistemas de órgãos altamente funcionais. Poucas pessoas, fora da genética ou da bioquímica, percebem que os evolucionistas ainda não podem fornecer detalhes substanciais sobre a origem da vida e, particularmente, sobre a origem da informação genética no primeiro organismo auto-replicante. Quais genes ele requeria – ou tinha genes? Quanto DNA e RNA ele tinha – ou até tinha ácidos nucléicos? Como grandes moléculas ricas em informação surgiram antes da seleção natural? Exatamente como se originou o código genético que liga os ácidos nucleicos à sequência de aminoácidos? Claramente, a origem da vida – a base da evolução – ainda é virtualmente toda especulação, e pouco ou nenhum fato.

Estamos lidando com um tema controverso aqui, que tem alguns cientistas repreendidos por ir contra isso em alguns casos. Esta teoria está sendo realmente empurrada na comunidade científica, o que poderia ser a razão pela qual esses cientistas escolheram expressar sua preocupação dessa maneira. Está sendo ensinado, em alguns casos, nas escolas como sendo fato.

Embora a lista seja antiga, ela mostra que esse pensamento existe, e esse tipo de pensamento é claramente legítimo e existe por vários motivos. Existem várias teorias por aí que devemos discutir, por exemplo, Francis Crick, um co-descobridor da dupla hélice do DNA, ganhador do Prêmio Nobel, acreditava que os blocos de construção da vida têm que ser o resultado e algo mais do que mutações aleatórias, um ‘capricho’ da natureza …

Como Gregg Braden apontou:

Crick arriscou sua reputação como cientista ao declarar publicamente: “Um homem honesto, armado com todo o conhecimento disponível para nós agora, só poderia afirmar que, em certo sentido, a origem da vida parece, no momento, ser quase um milagre. No mundo científico, essa afirmação equivale à heresia, sugerindo que algo mais do que a evolução do acaso levou à nossa existência.

Crick foi um dos muitos cientistas que acreditavam que a intervenção inteligente tinha algo a ver com isso e também postulavam uma hipótese extraterrestre.

Gregg Braden ainda mencionou:

A sensação de que há algo mais em nossa história não é apenas um fenômeno recente. Descobertas arqueológicas mostram que, quase universalmente, desde o antigo Popol Vuh maia e as tradições indígenas do deserto americano do sudoeste, até as raízes das principais religiões do mundo, os humanos antigos sentiam-se conectados a mais do que apenas seu entorno imediato. Eles sentiram que temos nossas raízes em outros mundos, alguns que nem podemos ver.

Não foi há muito tempo quando o piloto da Apolo 15, Alfred Worden, declarou:

Somos os alienígenas, mas simplesmente pensamos que eles são alguém mais. Mas nós somos aqueles que vieram de outro lugar, porque alguém tinha que sobreviver, e eles entraram em sua pequena nave espacial, em seguida vieram aqui e pousaram, e eles começaram a civilização aqui.

E se você não acredita em mim, vá buscar nos livros sobre os sumérios antigos e veja o que eles tinham a dizer…

No final do dia, nós simplesmente temos que nos perguntar, por que é cada vez mais difícil questionar as coisas? Muitas pessoas vivem em um estado de medo e se preocupam com a forma como serão percebidas hoje em dia, por terem uma visão particular, seja na evolução humana, vacinas, seja qual for…

Como químico, a questão mais fascinante para mim gira em torno da origem da vida. Antes do início da vida, não havia biologia, apenas química – e a química é a mesma para todos os tempos. O que funciona (ou não) hoje, funcionou (ou não) no começo.

Assim, nossas idéias sobre o que aconteceu na Terra antes do surgimento da vida são eminentemente testáveis ​​no laboratório. E o que vimos até agora, quando as reações são deixadas sem orientação, como seriam no mundo natural, não é muito. De fato, as reações de decomposição e as reações concorrentes estão muito longe das reações sintéticas. É somente quando um agente inteligente (como um cientista ou um estudante de pós-graduação) intervém e “ajusta” as condições de reação “corretas” vemos qualquer progresso, e mesmo assim ainda é bastante limitado e muito longe de onde precisamos obter.

Assim, é a própria química que fala da necessidade de algo mais do que apenas tempo e acaso. E se isso é simplesmente um conjunto altamente especificado de condições iniciais (ajuste fino) ou alguma forma de orientação contínua até que a vida finalmente surja, ainda é desconhecido.

Mas o que sabemos é que as reações químicas aleatórias são totalmente insuficientes e estão, muitas vezes, trabalhando contra os caminhos necessários para o sucesso. Por estas razões, tenho sérias dúvidas sobre se o atual paradigma darwinista fará algum progresso adicional nessa área.
Edward Peltzer Ph.D. Oceanografia, Universidade da Califórnia, San Diego (Instituto Scripps), Editora Associada, Marine Chemistry

A educação básica nos ensina que 99% dos links de DNA são indicativos de onde viemos, mas compartilhamos aproximadamente 65% de nosso DNA com uma Banana. O que isso significa?

Seres humanos não são estúpidos, e é por isso que em 2014, uma pesquisa da Gallup revelou que só nos Estados Unidos quase metade da população acredita que há algo mais nas origens da existência humana do que as duas opções que são constantemente apresentadas para as massas. Eles acreditam que há algo mais do que a teoria da evolução de Darwin.

Isso nos diz que a intuição humana está nos apontando para algo mais e algumas das maiores mentes científicas concordam.

Também é muito importante mencionar o fato de que várias descobertas continuam sem registro. A descoberta de esqueletos gigantes é um excelente exemplo…

O ponto é, ainda há muitas perguntas deixadas sem resposta, e ainda muitas discussões para serem feitas.

FONTE: http://ovnihoje.com/2018/11/01/cientistas-renomados-rejeitam-a-teoria-de-evolucao-por-darwin/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s