HOMEM QUE SE METAMORFOSEIA EM BORBOLETA

Crop Circle Homem Vitruviano Borboleta …

Posted by on 04/06/2016

ButterflyMan-cropcircle

O HOMEM VITRUVIANO de Leonardo DA Vinci, com asas de Borboleta, encontrado em Crop Circle feito próximo à cidade de GOES, no sul da Holanda.

Foi a maior figura, desenho em Crop Circle (Círculos nas Plantações) jamais feita antes em qualquer país, em qualquer tempo, com tamanho de 530 metros por 450 metros, totalizando uma área de 238.500 metros quadrados!

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

A figura humana traz ainda em destaque um círculo no local do Chakra Cardíaco, com um ponto central bem no peito da figura do homem, como uma referência ao nosso coração, a sede da alma dentro do corpo humano.

borboleta-azul

No Dia 7 de AGOSTO (Mês 8) de 2009 (ano final 9). E temos uma sequência: dia 7, mês 8, ano 9 … Uma sequência Evolutiva em finalização simbolizada pelo homem borboleta, a Lagarta (homem/mulher meramente material e egoísta, centrados apenas na existência física) se transformando em homem/mulher  BORBOLETA, um ser humano evoluído espiritualmente – agora com “asas”- , após o processo de autometamorfose.

Um gigantesco Crop Circle de um Homem Borboleta com 530 metros x 450 metros (o maior já registrado em todos os tempos) apareceu no sul da Holanda (Países Baixos), perto de uma cidade chamada Goes {aqui mais uma correlação com evolução: GO é o verbo IR em inglês, Goes se aplica à terceira pessoa e significa VÁ, SIGA, ANDE, CAMINHE (evolua, finalize sua história neste planeta, abra as suas asas SEM MEDO da sua própria realização e voe…de volta para casa}.

Este é o maior Crop Circle (Círculo em Plantações) já relatado e que GRITA  a sua mensagem em alto e bom som, sendo muito clara, “os seres humanos estão evoluindo” … Um fato muito bem ilustrado pela metamorfose de uma lagarta em borboleta! A evolução espiritual envolve o ego e a sua transcendência e também é muito interessante o nome do local onde esse Crop Circle foi deixado, porque ele além de poder ser correlacionado com o verbo IR (GO), também é um anagrama para a palavra EGOS (goes)… 

Tudo isso parece ser uma mensagem clara e direta … O desapego e transcendência sobre os nossos egos é um dos passos fundamentais para o despertar e da auto-realização /auto-iluminação / evolução… Para a metamorfose do homem de barro/lagarta/egoísta em homem/borboleta com asas espiritualizado e altruísta.

Quem se deu ao trabalho de confeccionar tal mensagem, em local com tal nome, se utilizando de toda essa simbologia espiritual, em conexão com a evolução humana, é porque deve ter um enorme carinho pela nossa espécie…

ButterflyMan-cropcircle.01

A figura humana usada no desenho do Crop Circle do Homem Borboleta é a mesma criada por Leonardo Da Vinci e muito conhecida como o  “Homem Vitruviano” de Da Vinci, figura popularizada depois do livro e filme O Código Da Vinci, de Dan Brown.

Também aqui existe uma “sincronicidade” pois na capa do livro Spontaneous Evolution”, um livro do Dr. Bruce Lipton e Bhaerman Steve (Swami Beyondananda ) sobre a evolução humana, traz em sua capa a figura do Homem Vitruviano de Da Vinci e uma borboleta estampados sobrepostos!

A primeira reação da maioria das pessoas ao ver este magnífico Crop Circle do Homem Borboleta geralmente é com uma exclamação de espanto, um ‘UAU bem grande’ juntamente com alguns calafrios na espinha e uma onda crescente de entusiasmo, ao ver esta brilhante e inteligente mensagem deixada nesse círculo em plantação,  um sinal transdimensional da “colheita da safra da evolução humana” que esta acontecendo!

Esta evolução se acelerou em um nível quântico enviando ondas de energia transformadora … evoluindo muitas vidas … despertando muitos milhões em todo o mundo, agora mesmo! Um ser humano multisensorial está evoluindo dentro de cada um de nós aqui e agora …

A borboleta é um símbolo de evolução, crescimento, mudança/metamorfose e transformação. Psyche (ψυχήa a deusa grega a quem estamos gratos pela raiz da nossa palavra psicologia=estudo da alma) foi o nome dado pelos gregos para aalma. É também a palavra grega que significa a borboleta.

Na antiga arte grega, bem no seu início, esta deusa simbolizando a alma humana, foi representada como uma borboleta. Com o tempo a borboleta (psique) veio a simbolizar a alma e a nossa palavra psicossomática significa o efeito da alma no corpo (ψυχήa=psique-alma, soma=σώμα é a palavra grega para o corpo).

Os nativos americanos veem a borboleta como um símbolo de alegria. Alimentando-se das flores que ajudam a polinizar, elas disseminam e contribuem ainda mais com a beleza, que é um atributo feminino, da deusa. Os olhos das Borboletas consistem em milhares de lentes individuais. Isto lhes dá o dom de serem capazes de ver uma imagem clara.

Eles podem perceber comprimentos de onda de luz ultravioleta, sugerindo habilidades clarividentes para aqueles com a Borboleta como animal símbolo de poder. As antenas da borboleta tem botões pequenos em cada extremidade, que se diz que é para facilitar a sua orientação. Se uma antena está faltando a borboleta vai voar em círculos incapaz de encontrar o seu caminho. Se a borboleta é um símbolo aliado seu, é porque você precisa dela para permanecer conscientemente conectado ao espírito em todos os momentos para que você possa cumprir com os seus objetivos espirituais.

A Borboleta é o símbolo da mudança, da alma, da criatividade humana inspirada pela divindade, a liberdade, da alegria, beleza e da cor. Seu poder é o de transformação da forma, da transmutação, da mudança evolutiva da alma. Elas representam o elemento ar, o elemento ligado ao espírito (πνεύμα=pneuma em grego) mudando rapidamente e sempre em movimentos graciosos revoluteando no ar. As borboletas são mensageiras do momento e vêm em uma ampla gama de cores.

Estudar essas cores pode ajudar você a descobrir mensagem para você nas borboletas. Elas nos lembram de que não devemos levar as coisas deste mundo material muito a sério e de nos erguermos e nos movermos, para a frente, em evolução. Elas nos ensinam que o crescimento e a transformação não tem de ser uma experiência traumática. Ela pode ser alegre.

As Borboletas possuem a capacidade de crescer e mudar, da metamorfose, deixando a segurança de seu casulo para descobrir um mundo novo em uma nova forma, sem medo, confiando em suas asas não testadas ainda para voar, sem dúvidas, em suas mentes. Elas trabalham e passam por muitas etapas importantes para se transformarem de uma rastejante, negra, peluda e feia (às vezes até venenosa) lagarta em uma bela e inofensiva borboleta colorida , que irá voar livre pelos ares, ao sabor do ar (pneuma/espírito), após o seu processo de metamorfose.

Todo esse processo serve perfeitamente para simbolizar as dificuldades que toda a alma humana corporificada em um corpo físico tridimensional no planeta Terra tem que enfrentar, após sucessivas encarnações até à sua metamorfose do homem de barro/lagarta rastejante em uma colorida, leve, bela e livre borboleta para voar pelos céus ensolarados e colher o néctar de sua realização espiritual na Flor de Lótus do espírito e finalmente abandonar a necessidade de voltar para um mundo tridimensional como o da Terra. Publicado em Julho 2014.

Então ABRA AS SUAS ASAS E VOE… LIVRE… E VOLTE PARA CASA….

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth-escriba

FONTE:    www.thoth3126.com.br

SANO KAJ MALSANO-FASTADO

La sano ne estas nur foresto de malsano kaj elcherpigho, sed ankau kompleta fizika, psika kaj socia bonstato. Tiel la sanon difinas Monda Sanorganizo.

La normalan homan vivciklon endangherigas duspecaj dangheroj: eksteraj kaj internaj. Eksteraj estas ankau duspecaj:

a) diversaj homaj malamikoj kaj akcidentoj,

b) mikrobiologiaj malsanoj (kauzitaj de mikroboj)

Internaj dangheroj estas kauzitaj en ni mem au de ni mem. Temas pri grupo de malsanoj kiujn ne kauzas etaj vivestajoj nin atakantaj (virusoj, bakterioj, fungetoj ktp.), sed nia organismo mem.

La malsanojn same kiel la normalan, sanan funkciadon de la korpo studas la medicino. Kaj pri la malsanoj eksteraj, do, kauzitaj de mikroorganismoj, la medicino scias multon, preskau chion gravan – ech pri aidoso oni scias kiel ghi ekestas, kiu viruso ghin kauzas. Oni nur ne ankorau trovis tiaspecan venenon au kontrauaganton al la virusoj. Viruskauzitaj malsanoj tial ne estas kuraceblaj per la nunaj medicinaj scioj. Sed, feliche, la plejmulto de virusoj estas detruataj sukcese far de niaj leukocitoj, la homa organismo mem sukcesas defendi sin kontrau ili. Krom se la homo estas jam tre maljuna. Aidoso estas la sola malsano kies viruson la homa korpo mem ne kapablas detrui. Kaj tio estas la pesto de la dudeka jarcento. Tamen, mi supozas, ke la homoj sukcesos trovi ion por kontraubatali virusojn ghenerale, kaj speciale la viruson de aidoso. Eble ne tre baldau, sed tio solvighos. Krome, per diversaj preventaj metodoj oni batalas kontrau la tro granda disvastighado de aidoso, ech sufiche sukcese.

La pli problemaj malsanoj por la medicino, estas tiuj internaj, kauzitaj de ni mem. Inter iii trovighas multaj nervmalsanoj kaj diversaj malnormalajhoj ekestantaj pro certaj fizikaj neekvilibroj kiel malghusta nutrado k.a. Tamen, tiu grupo ne estas morte danghera. Alian pli dangheran grupon ni nomas per komuna nomo: kancero. La kancero estas nekontrolebla rapida multoblighado de la propraj cheloj de la homa histo. Se oni observas la kanceron, ghi tre analogias kun la milito. En normalaj, pacaj tempoj diversaj shtatoj bone kunlaboras kaj kunekzistas, kunfunkcias. Chiu kontribuas iel al la propra bonstato kaj al la bonstatoj de aliaj. Se pro iu kauzo, unu el ia shtatoj ekhavas problemojn kaj ghi ne sukcesas tiujn problemojn mem solvi, ghi decidas provi savighi per shtelado, per forpreno de aliaj, chefe de najbaroj, ne komprenante ke detruante la aliajn, ghi detruas la tutan superan organismon kies parto ankau ghi mem estas.

Same tiel kondutas la kancertumoroj. La nekontrolata disvastighado de cheioj (soldatoj kiuj atakas alian landon) ekas en tiu organo kiu ial havis problemojn, estis la plej malforta, estis tro longe en nekonvena pozicio. luj kuracistoj interalie konstatis ke la kancero ekestas ofte en organoj kiujn ni ial neglektis au tro ekspluatis. Homo kiu dum jaroj fumis pipon tenante ghin chiam en la maldekstra bushflanko, gajnis kanceron je tiu bushparto. Pri tio ke fumantoj ricevas multe pli ofte pulmokanceron ol aliaj, oni ne bezonas paroli.

Nu, la cheloj kiuj normale (kiam ili ne estas sovaghaj soldatoj) havas en siaj genoj programojn pri tio kiom rapide kaj ghis kiu generacio ili multoblighu, en la kazo de kancero perdis tiun genprograman limigon. Ili multoblighadas senprograme, invadas la chirkauajn sanajn organojn, “infektas” (transdonas sian frenezecon) ankau la chelojn de tiuj organoj kaj rapide detruas chion, ghis fine estas detruitaj vivgravaj organoj pro kio la tuta organismo – la homo – chesas funkcii, mortas.

Chu tio ne tre memorigas pri milito? Shajnas ke la kancero estas milita stato en la homa korpo kauzita de iu malekvilibro, iu malatento pri la limoj kiujn havas certaj organoj se oni ilin tro sharghas.

Chu oni povas batali kontrau la kancero, kontrau la nekontrolebla militatako, disvastighado de frenezigitaj cheloj? Lau mi oni povas lau du manieroj.

a) per fizika detruado de la milittrupoj, do, de la tumoro, se ghi ankorau trovighas en loko malproksime de vivgravaj organoj (kaj tion ja aplikas la hodiaua medicino per operacioj kaj kemoterapio) kaj

b) per rekontrolo de la genprogramoj, per normaligo de ilia vivritmo – kaj tio signifas la haltigon de la proceso de frenezdisvastighado.

Kiel jam dirite, la troigo, la supero de limoj en kiuj okazas oscilado de normalaj vivcikloj kontrolataj per sentoj kauzas timon. Tiu chi kauzas per negativa sugesto plian timon (ne ankorau necesan) kaj la plia shtupo estas paniko. Oni devas detrui la fonton de la frenezo, de la paniko. Unue necesas forigi la kauzon de la malekvilibro per senvenenigo de la tuta korpo, per interna kompleta purigo helpe de dieta longdaura fastado kun trinkado de nature faritaj sukoj el legomoj kaj fruktoj uzante klistron kaj aliajn rimedojn por purigado che chiuj eliminorganoj. Post la totala purigo la korpo mem komencas detruadi la malnormalajn chelojn (detale pri tio legu en la verkoj de finna doktoro Airola au aliaj autoroj kiuj verkis pri tiu temo). Chio tio postulas longtempan luktadon en kio grave helpas la pozitiva memsugesto por kontraubatali la panikon de la cerbo. Chio tio komune restarigas la normalan funkciadon de la reproduktaj procesoj en la cheloj.

Ghenerale la plej grava aspekto de kontraustaro al malsanoj estas la prevento. Entrepreni chion kio maksimume malebligas la shancojn ke oni malsanighu estas la tasko kaj de individuo kaj de shtato. Al la plej gravaj agoj en la preventado apartenas la zorgo pri higieno, sana nutrado kaj kontraustaro al gravaj sociaj malbonoj kiaj la alkoholismo, fumado, drogoj kaj tablojdomanio.

FONTO: http://miresperanto.com/biblioteko/duobla_spiralo/16.htm

MEL ELIMINA SUPERBACTÉRIAS

MEL DESTRÓI E MATA até mesmo Superbactérias de hospitais !!

Algumas bactérias se tornaram resistentes a todos os medicamentos antibacterianos conhecidos e prescritos pelos médicos. Mas os cientistas descobriram que o mel Manuka, como é conhecido na Nova Zelândia, ou  geleia de arbusto,  um mel, como é conhecido na Austrália, matou toda bactéria ou patógeno que nele foi testado.  É aplicado externamente e atua sobre infecções de pele, mordidas generalizadas de animais e cortes.

Tradução edição e  imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

POR: JOHN STAPLETON, SIDNEY- Austrália

Fonte: http://www.theaustralian.com.au

Pesquisadores australianos ficaram muito surpresos ao descobrir uma cura para tudo, existente desde há muito tempo bem debaixo de seus narizes – um mel vendido em lojas de alimentos saudáveis como um medicamento natural:

A Grande Mãe Natureza demonstra mais uma vez que ela é a maior fonte de bem estar do ser humano. Em uma Colmeia predomina a energia feminina, da deusa, pois as abelhas são regidas por uma RAINHA.

Muito longe de ser um alimento de saúde natural obscura com qualidades curativas duvidosas, uma nova pesquisa mostrou um tipo de mel conhecido como Manuka, da Nova Zelândia, que mata todos e cada tipo de bactéria que os cientistas têm jogado nele, incluindo as “superbactérias” resistentes a antibióticos  que assolam os hospitais  matando pacientes em todo o mundo.

Algumas bactérias se tornaram resistentes a todos os medicamentos antibacterianos comumente prescritos. Mas os cientistas descobriram que o mel Manuka, como é conhecido na Nova Zelândia, ou  geleia de arbusto,  um mel, como é conhecido na Austrália, matou cada bactéria ou patógeno que nele foi testado.  É aplicado externamente e atua sobre infecções de pele, mordidas generalizadas de animais e cortes.

Flores do arbusto Manuka, (Leptospermum scoparium) nativa da Nova Zelândia que produzem um super mel.

O mel se distingue porque é produzido apenas por abelhas que se alimentam de árvores nativas de chá em regiões da Austrália e da Nova Zelândia, disse Dee Carter, da Escola de Biociências e Molecular Microbiana da Universidade de Sydney. Os resultados são susceptíveis de ter um enorme impacto sobre a medicina moderna e poderia conduzir a produção de uma nova gama de produtos à base de mel para substituir cremes antibióticos e anti-sépticos.

Os dois filhos do Professor Carter, Marty de 8 e Nicky com 6, acham que é muito engraçado a maneira como sua mãe coloca mel em suas feridas quando eles se machucam. Mas ela jura por eles, contando histórias de como rapidamente o mel cura qualquer infecção. “O uso do mel soa muito caseiro e nada científico, e é por isso que precisamos do uso da ciência para validar as afirmações feitas por ele”, disse ela.

De acordo com relatório da ONU as abelhas estão sofrendo um processo de extinção em vários países industrializados do hemisfério norte, como Inglaterra, Canadá e EUA, colocando em risco até mesmo a produção de alimentos.

As propriedades curativas de vários tipos de mel já são conhecidas por culturas indígenas durante milhares de anos, e cobrir feridas e cortes com mel era comum antes do advento dos antibióticos. “A maioria das bactérias que causam infecções em hospitais são resistentes a pelo menos um antibiótico, e há uma necessidade urgente de novas formas de se tratar e controlar infecções de superfície da pele”, disse o professor Carter.

“Novos antibióticos (sintetizados) tendem a ter vida útil curta, na medida em que as bactérias que atacam, rapidamente vão se tornando mais resistentes. Muitas grandes empresas farmacêuticas abandonaram a produção de antibióticos por causa da dificuldade de recuperação dos custos. Desenvolver alternativas eficazes poderiam, portanto, salvar muitas vidas,”principalmente em países mais pobres do terceiro mundo.

O Professor Carter disse que a coisa fascinante nisso tudo também foi que nenhum dos pesquisadores de bactérias jamais havia usado o mel para testar contra as bactérias, incluindo superbactérias, como as bactérias comedores de carne. Ele disse que um composto natural no mel chamado de metilglioxal – ele próprio sendo tóxico – combinados de modo ainda desconhecido com outros compostos não identificados no mel é que causam a “falha de multissistema” nas bactérias, matando-as.

Os resultados do projeto da pesquisa foram publicados no Jornal Europeu  de Microbiologia Clínica e Doenças Infecciosas do mês de março.

Saiba mais em:

  1. http://thoth3126.com.br/abelhas-em-perigo-de-extincao/
  2. http://thoth3126.com.br/as-abelhas-e-o-sagrado-feminino/
  3. http://thoth3126.com.br/sumico-das-abelhas-tambem-no-brasil/
  4. http://thoth3126.com.br/abelhas-estao-desaparecendo/
  5. http://thoth3126.com.br/abelhas-podem-aumentar-a-produtividade-na-agricultura-dizem-especialistas/
  6. http://thoth3126.com.br/abelhas-tribunal-polones-condena-mulher-por-matar-2-milhoes-de-abelhas/

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

FONTE:     www.thoth3126.com.br


			

JEJUNS CURTOS: FABULOSA PRÁTICA DE SAÚDE

Por Flávio Passos

Eu jejuo para uma maior eficiência física e mental” Platão

O jejum é o maior dos remédios, é o médico interior. ” Paracelso

Ainda é comum recomendações de que o ideal para a saúde seria se alimentar de três em três horas, e que necessitamos de pelo menos três refeições por dia (mais lanches e snacks), e que o café da manhã é a mais importante delas. É o que se ensina ainda na maioria das faculdades de nutrição, e o que ainda é prescrito pela maioria dos profissionais. Ainda, pois a imensa maioria de evidências científicas vem apontando outra direção…

Jejuar é não comer. É abster-se de alimento. Uma prática de privação, voluntária ou não, que permite ao organismo reciclar nutrientes, renovar e organizar sua estrutura biológica e metabólica, eliminar componentes desnecessários, fortalecer a imunidade, produzir hormônios em deficiência e rejuvenescer tecidos – além de amplificar a eficiência e desempenho físico e mental. Bom demais para ser verdade? Não – apenas uma função biológica que a Sabedoria Natural desenvolveu para o benefício da saúde do corpo.

Esta prática fez parte do desenvolvimento metabólico de nossos ancestrais, caçadores e coletores que praticavam o jejum com frequência, pois nem sempre havia alimento disponível no ambiente selvagem… muito menos de três em três horas. Ainda, a prática de jejum sempre foi utilizada para fins espirituais, quando o objetivo é deixar a percepção no auge de seu funcionamento (para meditação e prece). Médicos de diferentes tradições ancestrais recomendavam o jejum como ferramenta de regeneração e cura do organismo. Os próprios animais, quando ficam doentes, jejuam.

Recentemente passou a ser utilizada por empresários, empreendedores ou estudantes que precisam operar no auge de seu desempenho. Mesmo com toda esta funcionalidade e histórico, o que se fala por aí é que jejum enfraquece, causa perda de massa muscular e que não deve ser praticado de forma alguma. Será?

O QUE É O JEJUM INTERMITENTE?

Jejuns longos, de fato, requerem supervisão e conhecimento de si mesmo e de como a individualidade de seu corpo funciona. Mas jejuns curtos (os chamados jejuns intermitentes) podem ser utilizados pela maioria das pessoas. É uma técnica poderosa, simples e prática que pode transformar sua vida. E não custa nada.

A modalidade mais acessível e fácil de integrar com flexibilidade em nossa rotina é o jejum intermitente que dura de 16 a 24 horas (incluindo a noite de sono, que dura por volta de 8 horas). Este é um padrão que parece se aproximar muito do ritmo alimentar de nossos antepassados.

Diferentemente de hoje em dia, a comida não era facilmente acessada e armazenada, havia períodos de grande abundância, períodos de escassez e períodos de total ausência de alimentos, e o metabolismo do corpo humano se adaptou muito bem durantes os milênios em que isso ocorreu.

Ao contrário do que se pensa, uma pessoa saudável não se sentirá fraca e incapacitada ao ficar algumas horas sem comer, pelo contrário. Já pensou se o corpo realmente reagisse assim na ausência de alimentos? Não é justamente nessas horas que mais precisaríamos de força e percepção alerta e aguçada para caçar ou buscar alimento? E é isso mesmo que acontece – talvez não na primeira ou segunda vez do iniciante, que já acostumou o corpo durante anos ou décadas a se alimentar com frequência – mas após as primeiras tentativas, nos sentimos mais dispostos e alertas.

O jejum é especialmente fácil para quem já pratica uma dieta verdadeiramente natural, com baixo teor de carboidrato e elevado teor de gordura natural como fonte primária de nutrição. Um organismo ceto-adaptado (aquele que utiliza gordura alimentícia como combustível primário) tem extrema facilidade em jejuar: acaba sendo algo natural e sem esforço. O mesmo não pode ser dito para quem se alimenta primariamente de pão, arroz, batatas, bolachas, barrinhas e outras fontes de carboidrato. Assim, o primeiro passo para dominar a arte do jejum é, muitas vezes, organizar a própria nutrição. Ao mesmo tempo, jejuar em si é uma prática que auxilia a repensar e reeducar os hábitos alimentares. Para muitos, é mais fácil começar o processo de evolução de hábitos alimentares escolhendo QUANDO comer do que escolhendo O QUE COMER. Ainda assim, qualquer passo em direção à Saúde é bem vindo.

je2

FATOS CIENTÍFICOS

É válido ressaltar que o jejum é uma prática que desde o princípio dos tempos é utilizada por praticamente todos os povos e culturas do planeta. Além das conhecidas figuras bíblicas e de Jesus, alguns homens ilustres como Platão, Pitágoras, Gandhi e o médico alquimista Paracelso exaltaram suas virtudes, Paracelso chamou o jejum de “o médico interior” e de o “melhor remédio”.

Jejuns prolongados, de três dias ou mais, podem ocasionar benefícios mais profundos em determinadas áreas, como o de regeneração e recuperação profunda de diversos sistemas do do organismo. Pesquisas feitas pelo Dr. Valter Longo mostraram que jejuns de três ou quatro dias podem até mesmo criar um sistema imunológico novo à partir de células tronco. É impressionante.

Os benefícios da restrição calórica – ingerir uma quantidade bem menor de calorias do que a média – como a longevidade, já são conhecidos e pesquisados há algumas décadas. A sabedoria antiga diz que “quanto menos se come, mais se vive“, e isto é extensivamente demonstrado em qualquer organismo vivo. Comer mais do que o necessário envelhece prematuramente. Estudos recentes demonstram que os mesmos benefícios (e mais alguns) podem ser alcançados através do jejum intermitente.

Já existe uma quantidade sólida e considerável de evidências científicas (algumas referências estão listadas ao fim do artigo) apoiando o jejum intermitente como uma prática segura e eficaz para a melhora da saúde em geral, emagrecimento, perda de gordura, aumento de massa muscular, melhorias no funcionamento cardiovascular, cerebral e metabólico.

Durante o jejum, a produção de insulina diminui e a sensibilidade à insulina aumenta, isso significa que no refeeding, o corpo vai metabolizar o alimento de modo mais satisfatório. Através do jejum intermitente reeducamos o corpo a utilizar o alimento da maneira mais efetiva possível. Isso significa não há acúmulo de gordura e ocorre aumento muscular (se os músculos forem exercitados).

COMO?

A explicação é simples. Quando comemos com frequência constante, o corpo tem o alimento sempre disponível como fonte de energia e guarda as “sobras” na forma de gordura corporal. Na ausência de alimento, o corpo utiliza essa gordura estocada como fonte de energia, o que resulta em perda de peso e saúde para o organismo.

O jejum ainda traz um ganho extra para quem se exercita e quer melhorar a musculatura, após um treino em estado de jejum, assim que você se alimenta, há um aumento do hormônio do crescimento (HGH), que estimula o crescimento muscular e a queima de gordura. O HGH é um dos principais responsáveis por manter o corpo jovem.

Devido a esses fatos, encontramos muitos praticantes e entusiastas do jejum intermitente no meio fitness. Mas os benefícios vão muito além da boa forma física.

Quando o corpo está sem seu combustível usual – glicogênio – ele passa a queimar gordura e também passa a reciclar componentes celulares danificados, o que se chama de autólise inteligente, e através desse processo o corpo se recupera mais rápido e tem a capacidade de renovar os seus sistemas, como o sistema imunológico. Certamente é por essa razão que os animais quando estão doentes param de comer, eles estão permitindo que o corpo economize energia digestiva e encontre recursos para se recuperar mais rapidamente. Já percebeu como você perde o apetite quando está doente? Pois é. É o corpo clamando por jejum.

Tem mais – o jejum intermitente tem a incrível capacidade de reparar neurônios danificados e estimular o cérebro a gerar novos neurônios (neurogênese). A privação regular de calorias, além de estimular a renovação celular cerebral (e de todo o organismo), também aumenta a produção do Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro (BDNF, do inglês Brain derived neurotrophic factor). O BDNF é um membro da família das “neurotrofinas” e ajuda na sobrevivência neuronal e na neurogênese.

Há estudos também apontando que o jejum ajuda em distúrbios psíquicos, diminuindo sintomas de depressão, desânimo e agressividade. Compreende porque o jejum é considerado uma prática sagrada há milênios?

COMO E QUANDO FAZER: RECOMENDAÇÕES E DIRETRIZES PRÁTICAS

É recomendável consultar seu médico e/ou nutricionista para a prática do jejum. Embora seja fundamentada e totalmente segura para adultos saudáveis, cada pessoa é única e algum acompanhamento pode ser necessário. Desaconselhamos o método para pessoas que utilizam medicamentos.

QUANDO NÃO FAZER:

  • NÃO é indicado para mulheres que estejam querendo engravidar e que estejam amamentando.
  • Muita cautela quando há quadros de infecções crônicas sérias (em alguns casos há melhoras, provavelmente por economia de energia dos processos digestivos e pela ativação da autofagia),
  • Fadiga crônica,
  • Num período em que não se está lidando bem com o estresse,
  • Problemas de sono,
  • Problemas no estômago como inflamações e infecções.
  • Desequilíbrios hormonais,
  • Fadiga adrenal

Muitos afirmam que o jejum pode não trazer tão bons resultados para as mulheres e pode também ser mais difícil e desconfortável. Portanto, recomendamos para as mulheres ir de modo bem gradativo e subtrair duas horas dos períodos de jejum indicados.

Dicas: Evite os dias pré-menstruais, pois a alteração hormonal costuma modificar o humor e os hábitos, podendo tornar o jejum mais difícil ou incômodo (cada caso é único, talvez o jejum possa ajuda-la!), evite principalmente durante e após o período menstrual, pois nesses dias seu corpo precisa de uma nutrição reforçada.

QUANDO FAZER:

É especialmente recomendado para:

  • Aqueles que querem perder peso,
  • Harmonizar a glicemia sanguínea,
  • Descansar o sistema digestivo
  • Propiciar um período de regeneração celular
  • Se concentrar em outras atividades
  • Diminuir gordura corporal e aumentar a massa muscular (sempre associado à exercícios e ao refeeding apropriado)
  • Melhorar o sistema imunológico e a saúde em geral

Há inúmeros estudos que comprovam que não há risco de perder massa magra com o jejum intermitente, mas é importante estar saudável e praticar exercícios físicos, de preferência aqueles que exigem força e resistência, como musculação. Embora o jejum possa ser um auxílio para recobrar a Saúde, esta prática realmente brilha quando exercitada por pessoas saudáveis.

A principal dica é compreender que é completamente natural para o corpo restringir seus períodos de alimentação de tempos em tempos. Se você duvida disto, a sua dúvida pode ser usada por sua mente para te fazer acreditar que precisa comer, sabotando seu projeto de jejum. Existe um excelente livro (Eat Stop Eat, de Brad Pillon (em inglês), abundante em referencias científicas, que basicamente comprova os benefícios do jejum e é feito para te convencer da absoluta segurança dos jejuns curtos (de até, no máximo, 3 dias). Assim, se as referencias contidas ao fim deste artigo não são suficientes para te deixar tranquilo e confiante para seguir com a prática, leia o livro.

Outra dica: o não comer é um período extremamente produtivo – seja para realizar tarefas, para estudar, trabalhar, caminhar, carregar peso…. seja para olhar para dentro, meditar, silenciar o pensamento. Não gaste este precioso período pensando em comida ou contando as horas para o momento de comer de novo. Simplesmente esqueça o assunto e não se permita ser carregado por sua mente até o universo dos alimentos. Tenha confiança de que seu corpo tem as reservas de que necessita e lembre-se de que é possível ficar sem comida e permanecer vivo por semanas, conforme a ciência comprovou. Aproveite seu curto jejum. Vá trabalhar.

As pesquisas sugerem que os benefícios acontecem das 16 horas (14 para mulheres) em diante, portanto 16 horas costuma ser o mínimo e pode ser praticado com frequência.  Esta é uma das práticas mais comuns de jejum intermitente – se alimentar diariamente por oito horas, e não se alimentar por dezesseis horas. Simplesmente jantar por volta das 20:00 e não tomar o café da manhã no dia seguinte, com o almoço às 12:00 completa 16 horas de jejum.  Para algumas pessoas é mais natural não comer de manhã, para outros é mais simples entrar em jejum no fim da tarde e pular o jantar. Não existem regras.

Métodos mais conhecidos:

  • Pular o café da manhã”: consiste em ficar 16 horas (14 para mulheres) sem se alimentar, como foi mostrado no exemplo acima. Normalmente quem segue este padrão se alimenta numa janela de 8 horas (10 para mulheres), como das 12:00 às 20:00. É um jejum que não apresenta muitas dificuldades e quem o pratica frequentemente o faz quase que numa base diária.

Seguindo o raciocínio das janelas, pode-se diminuir as janelas em 6, 4 e até mesmo 2 horas, o grau de dificuldade vai aumentando e o pode ser difícil manter esse ritmo sem desconforto.

  • Eat, Stop, Eat” – Coma, Pare, Coma: consiste num jejum de 24 horas uma ou duas vezes por semana. Este método foi popularizado por Brad Pilon, autor do livro “Eat, Stop, Eat”. Você escolhe um ou dois dias da semana, não precisam ser sempre os mesmos, é importante ter flexibilidade. Simplesmente comece o jejum a partir de uma refeição, pode ser o almoço ou janta, o que quiser, e coma novamente apenas no dia seguinte no mesmo horário. Por exemplo, jante 20:00 e volte a comer apenas as 20:00 do dia seguinte.
  • Jejum em dias alternados: Como o nome já diz, é comer um dia e outro não, neste caso os períodos de jejum podem atingir até 36 horas. É um padrão que apresenta muitos benefícios, mas é muito difícil de ser sustentado pela maioria.
  • Coma apenas num período definido de tempo (janela), por exemplo, apenas de 12:00 às 20:00. Basicamente você pulará o café da manhã e jantará mais cedo. Ao fazer isso, teremos 16 horas de jejum (das 20:00 até 12:00 do dia seguinte).

Importante: sempre mantenha seu corpo hidratado

Durante o jejum não ingerimos calorias. Bebidas como café e chá (sem açúcar!) podem ser consumidas.

EXERCÍCIO E JEJUM

Interessantemente, os efeitos metabólicos de exercícios físicos e de estados de jejum intermitente são muito parecidos:

  • Os níveis de insulina diminuem
  • A produção de hormônio do crescimento aumenta
  • Aumento na queima de gordura
  • Aumenta a movimentação de aminoácidos para fora e para dentro dos músculos, o que causa uma renovação e um aumento muscular

Exercitar-se no final do jejum (alimentar-se em seguida) pode trazer ainda melhores resultados ao treino!

Podemos afirmar que o jejum intermitente é um padrão alimentar bastante próximo do padrão natural do nosso organismo para que se mantenha em forma e saudável. Certamente mimetiza o ritmo das refeições dos nossos ancestrais, cuja disposição física e saúde geral é relatada como superior à média do ocidental moderno.

RECAPITULANDO

O Jejum Intermitente:

  • É um modo efetivo de perder gordura corporal
  • Contribui para a renovação celular
  • Estimula o cérebro a criar novos neurônios
  • Diminui a produção de insulina
  • Aumenta a sensibilidade à insulina, que faz com que o corpo metabolize o alimento da maneira mais eficaz
  • Reduz o estresse oxidativo (atua como um anti-oxidante, protegendo o corpo)
  • Aumenta a produção do hormônio do crescimento (refeeding), que estimula o aumento da massa muscular e contribui para a saúde geral do organismo
  • Costuma melhorar nossa produtividade, não só por nos deixar mais alertas e dispostos, mas também pelo aumento de tempo disponível
  • Diminui inflamações
  • Economiza tempo (e dinheiro)!

Referências:

http://fitness.mercola.com/sites/fitness/archive/2013/11/08/beginners-guide-intermittent-fasting.aspx

http://jonbarron.org/detoxing-full-body-detox/water-fasting-intelligent-autolysis#.VWyKx61Viko

http://link.springer.com/article/10.1007%2Fs11357-011-9289-2

http://www.psy-journal.com/article/S0165-1781%2812%2900815-3/abstract

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15741046

http://link.springer.com/article/10.1007%2Fs11357-011-9289-2

http://www.marksdailyapple.com/fasting-brain-function/#axzz3icHAvcdu

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20534972

http://www.naturalnews.com/049794_stem_cells_fasting_immune_system.html

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S089158490600801X

http://www.nature.com/ijo/journal/v35/n5/full/ijo2010171a.html

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18779282

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12797841

http://chriskresser.com/is-intermittent-fasting-good-for-you/

Português:

http://www.lowcarb-paleo.com.br/2013/02/jejum-intermitente.html

Vídeos (em inglês):

Documentário BBC – Eat, Fast And Live Longer

https://www.youtube.com/watch?v=4UkZAwKoCP8

endereço desse artigo: http://blog.puravida.com.br/jejuns-curtos/